Do you speak English? | Parlais vous Français?

Trabalhar a partir de casa, com filhos à perna

Por mais voltas que dê encontro-me sempre com o dilema de ter que trabalhar tendo o filho por perto. Dou ainda mais voltas cada vez que os prazos apertam ou não fosse eu a Mestre da Arte de Tergiversar Procrastinar, dou workshops, se desejarem seguir os meus passos. Tem é que ser bem pagos, claro.

Nos últimos anos, uma das formas de exercer a minha arte com mestria, tem sido passear pela net, ler 1001 mensagens nos 500.000 fóruns em que estou inscrita, escrever neste blog, ler tudo e mais alguma cosia no facebook. Uma dica boa que vi algures no ciber-espaço foi que, em vez de lutarmos contra esta "necessidade" de adiar o trabalho, podemos integra-la como um dos nossos hábitos o que nos permite tergiversar um bocadinho antes do início de cada jornada. Assim sendo, escrever nest blog, passou a ser um momento de preparação para o trabalho.  Depois disso, fico mais apta a realizar outras tarefas que requerem o computador e concentração.

Agora que chegou trabalho novo para fazer, esta dica já não me é suficiente e por isso aproveito o meu momento de procrastinação para escrever aqui as dicas de outras mamãs com filhos pequenos, que trabalham a partir de casa:

- Trabalhar à noite, depois de os pequenos irem dormir (impossível para quem tem filhos muito activos que requerem muitas horas de brincadeiras físicas);

- Trabalhar de manhã cedo, antes de as crianças acordarem (impossível para quem amamenta em livre demanda durante toda a noite e ainda leva a criança ao WC);

- Separar os brinquedos das crianças em diferentes caixas que se vão apresentando de forma rotativa. Desta forma a criança tem brinquedos "novos" e entusiasmantes com que se entreter. Quando o interesse esmorece trazer mais caixas de brinquedos (não funciona aqui em casa, só se tivesse 100 caixas de brinquedos e mesmo assim.... mas talvez funcione com crianças mais velhas?); 

- Dar às crianças actividades que estas podem desenvolver de forma independente (seguramente para crianças mais velhas. (O max que consigo é algo como "leva este copo para a cozinha" ou "queres colar estes autocolantes?" que acabam em 3 segundos. Se apostamos nas pinturas, lá se vão as paredes, os puzzles e jogos voam por todo o lado, a mala das ferramentas idem. Por enquanto, funcionam as brincadeiras na água o que inclui tomar banho e dar banho a todos os bonecos,na varanda);

- Trabalhar no mesmo local onde as crianças brincam para facilmente poder dar inputs e participar nas suas brincadeiras (é isto mesmo que acontece aqui e é muito facilmente participar nos seus interesses pois se eu me sento com o computador, tudo o que ele quer é colo e brincar com o teclado);

- Definir períodos, ao longo do dia, durante os quais nos podemos concentrar no trabalho e outros para nos concentrarmos nas crianças. Por exemplo, concentrar o trabalho nos horários das sestas .(funcionou lindamente enquanto havia sestas. Agora fico a rezar para que o sono venha e esta espera faz crescer a irritação e o ressentimento. Isto leva-me à próxima dica que é inteiramente da minha autoria;

- Relaxar e não fazer planos rígidos. Simplesmente aproveitar todos os momentos disponíveis para trablhar sem criar expectativas de que vai ser à hora X ou Y ou durante N tempo (in progress);

- Enquanto se estiver com as crianças não estar a pensar no trabalho. Enquanto estiver a trabalhar, não se sentir culpada por não estar com as crianças. Não fazer as coisas pela metade, meio com as crianças e meio a trabalhar porque acabamos por não fazer bem nenhuma das duas e por nos sentirmos culpadas.A ideia é garantir que ambos recebem a atenção de que necessitam e que quando estou focada neles é a 100% (mais fácil de escrever do que de fazer mas estou a tentar); 

- Encontrar uma outra mãe com quem partilhar os cuidados das crianças, para que se possa trabalhar (ia, ia. Continuo nessa procura e na procura de um local onde mães e crianças possam permanecer e que sejam maiores e mais arejados do que os micro apartamentos Lisboetas onde vivemos. Temos as mães e os filhos, falta-nos o espaço. Já tentamos em jardins públicos, com e sem parque infantil, com e sem explanadas mas é muito complicado porque as crianças se aborrecem de estar naqueles parque idiotas, porque não há wc's, há cocós em todo lado, com o sol não se vê o ecrã do computador, porque chove etc... etc....);

- Levar toda a parafernália para o jardim onde as crianças podem brincar e a mãe trabalhar (fixe para quem tem jardim em casa, fixe se não nevar, ou chover, ou estiverem 40º.);


- Convidar amigos dos filhos, parentes etc... para que possam vir brincar enquanto a mãe trabalha (mais uma vez, teria que ser fora dos 48 m2 que estamos a pagar ao banco);

- Deixar a criança ver TV, DVD e brincar com o computador (apesar de não me agradar a ideia, é o que tenho tentado mas, na maioria das vezes, sem qualquer sucesso. Se eu estou no computador ele quer o meu computador e o meu teclado);

- Desenvolver actividades com a criança que a deixem verdadeiramente cansada, seguidas de refeições substanciais. Assim temos mais hipóteses de que durmam a sesta e se deitem cedo (ainda que isso não seja garantido e que podem sempre adormecer a caminho de casa e acordar assim que lá entram deixando a mãe de rastos e sem conseguir trabalhar. Como eu conheço este cenário);

- Contratar um/uma jovem estudante que tenha tempo e jeito para estar com crianças (onde estão?);

- Pensar que não será necessário viver com as contas apertadas por muito mais anos dado que a criança vai crescer e ser cada vez mais autónoma o que aumentará o tempo disponível para o trabalho dos pais (lembro-me disto todos os dias.);

-  Pai e mãe trabalharem em part-time o que dá um salário a 100%  e muito mais disponibilidade para os filhos (claro que esta e outras excelentes dicas foram dadas por pais num mercado de trabalho bem diferente do nosso. Se isto nos fosse possível, já lá estaríamos. Aqui os empregos a meio tempo não abundam e isto para não falar nas dificuldades de viver só com um salário a 100%);

- Suplementar o salário com trabalhos sazonais (bora lá para a pêra rocha? Dicas de trabalhos sazonais que se possam fazer com crianças?)

- E falando em contas, podemos sempre diminuir as despesas. Aceitam-se dicas de redução de despesas.

- Trabalhar em troca de bens e serviços, em vez de dinheiro. Trabalho com o S. numa horta/jardim, em troca de comida. Cansativo e muito agradável. Veremos o peso desta troca no orçamento familiar.

Outras partilhas e dicas sobre o trabalho a partir de casa, com crianças:

http://wantamiracle.blogspot.pt/2011/10/trabalhar-partir-de-casa-sendo-mae.HTML

http://wantamiracle.blogspot.pt/2011/10/uma-mesa-e-uma-cadeira.HTML

http://wantamiracle.blogspot.pt/2011/04/do-trabalho-aos-filhos-dos-filhos-ao.HTML



Má-téteia

 - Manteiga
 - Téteia
- Manteiga
- Má-téteia
- Manteiga
- Má-teia
- Manteiga
- má este - a apontar para a manteiga e a rir.



A gordura animal acumula as toxinas que circulam no organismo e que este não consegue processar e expelir. Assim sendo,a gordura animal é uma fonte privilegiada de carcinogénicos como as dioxinas. Vale a pena apostar em manteiga biológica, especialmente se queremos inverter a tendência  para o aumento de casos de cancro entre os maispequenos, o cancro já é a 1ª causa de morte entre as crianças americanas.

Ainda melhor do que a manteiga biológica é a manteiga biológica feita a partir de leite cru (não homogeneizado e pasteurizado) e de animais alimentados a pasto (sem rações). Onde encontrar este produto em Portugal?

Conceito Contínuo na Feira Alternativa de Lisboa | 11 de Setembro Às 10:45

Dia 11 de Setembro, às 10:45, estarei na Feira Alternativa de Lisboa - Jardim Tropical de Belém - a convite da Revista Flôr de Lótus, para falar sobre o Continuum Concept e o seu impacto nas nossas vidas.

Convido todas as pessoas apaixonadas pela obra de Liedloff , a virem partilhar as suas experiências de adaptação da simplicidade dos yequana ao modo de vida dos tempos modernos. Convido também todas as pessoas que buscam modos de vida comunitários e significantes e que procuram nutrir os seus siflhos respeitando as suas expectativas inatas, a virem conhecer esta tribo amazónica e a sua sabedoria ancestral.

As linhas gerais do Conceito Contínuo, de acordo com a minha percepção e experiência, estão traçadas neste blog, aqui. Boas leituras e até Domingo dia 11, em Belém.

Alimentação Simplificada

http://www.westonaprice.org

- 100% biológico;
- produtos frescos da época;
- 0% açúcar;
- 0% gluten;
- o max de produtos integrais;
- não utilizar microondas;


Refeições principais:

- 1/2 dose de cereais integrais + 1 dose de legumes + ovo ou peixe ou carne ou leguminosas ou queijos;

-  mix sementes de abóbora/ sementes de girasol/ bagas gogi/ banana seca/ maça seca/ uvas passas;

 Os frutos secos são energéticos. Não devem ser consumidos sem outros alimentos por causa dos picos de açúcar. Garantem a ingestão de proteínas. Penso que é importante que estes alimentos sejam biológicos, não geneticamente modificados. Na semente está todo o potencial da planta.

Snacks:

- mix de sementes;
-   fruta;
- bolachas de arroz e/ou gressinos de espelta;
-  iogurte de cabra/ovelha natural;
- pão com manteiga de leite cru;
- leite de arroz ou amêndoa ou castanha;
- leite da vaca cru.

Para garantir algum equilíbrio nutricional polvilho as refeições com um destes ingredientes (não aquecidos para não perderem propriedades):
- sementes de chia (proteínas, mais cálcio do que o leite, mais ómega 3 do que o salmão  ...)
- levedura de cerveja integral em flocos (B12) - tem um sabor forte que pode não agradar a toda a gente
- sementes de sésamo e de linhaça moídas na hora 
- Ghee (proteínas)
- óleo de côco
- óleo de linhaça
- óleo de sésamo
- alga clorela em pó
- sementes de abóbora (desparasitante natural)
- molho de tomate caseiro (que é feito em Agosto/Setembro, em casa, e congelado para o ano inteiro. Pode ser simples, com cebola e alho, com pimento, com ervas aromáticas. Nem me dou ao trabalho de assinalar quando congelo, simplesmente descongelo e utilizo). Para além de tudo ficar saboroso - "no tempo da tomateira não há ruim cozinheira" - ainda estamos a garantir a diminuição do risco de incidência de cancro da próstata em 70%, se o seu consumo for diário).

A confecção é sempre muito simples. Aqui ficam das "fórmulas" mais utilizadas:

- Na panela de pressão cozer arroz integral com cebola ou alho + lentilhas cor-de-laranja (que desaparecem e dão proteínas). Abrir o pipo da panela antes do final da cozedura, acrescentar um legume cortado e voltar a fechar a panela para que a cozedura termine com o calor. Servir, polvilhar com sementes de chia e azeite. Se for um legume que o S. come bem (por exemplo, brócolos ou a courgete) apenas coloco em cima do arroz. Se for um legume  ao qual ele torce o nariz (como o alho francês ou a beringela) corto fininho e misturo com o arroz para que fique imperceptível. Pode ser servido com salada verde, um queijo fresco e regado com molho de tomate caseiro, para que a refeição tenha um ar mais "convencional";

Maximizar a utilização de 1 frango:

- Cozer frango caseiro na maior panela que haja em casa e com muita água. Com a água do frango podemos: fazer canja de galinha - com massa de espelta, legumes picados e frango desfiado; cozer um cereal - arroz, quinoa, amaranto... Costumo guardar a água de cozer o frango no frigorífico e utilizar até acabar mas também se pode congelar para utilizações futuras;

Com o frango cozido podemos: desfiar e fazer saladas de massa ou quiches; alourar os pedaços de frango cozido numa panela grande com muito molho de tomate (do tal, feito em casa e congelado), e o máximo possível de legumes cortados aos cubos - beringela, courgete, abóbora, alho francês e deixar guisar tudo. Se já tiver batata, servir assim. Senão, cozer um cereal para acompanhar. Com um frango e muitos legumes podemos servir 6 a 8 pessoas. Cada pessoa come 1 pedaço de frango estufado e cubos (grandes) de legumes à descrição. Não havendo visitas, comemos o frango quase todo na primeira refeição e os legumes estufados nas seguintes. Podemos servir os legumes estufados (com sabor a frango e respectivas proteínas), apenas com um cereal. Também se pode pôr os legumes estufados no forno e gratinar com queijo fatiado.

Sempre que posso inspiro-me aqui:

Nourishing our children - http://www.facebook.com/#!/nourishingourchildren

Nourishing Traditions - http://www.facebook.com/NourishingTraditions?ref=ts&sk=wall#!/pages/Recipes-to-Nourish/171143506291355

Nourished kitchen - http://www.facebook.com/NourishingTraditions?ref=ts&sk=wall#!/nourishedkitchen

Recipes to Nourish - http://www.facebook.com/#!/pages/Recipes-to-Nourish/171143506291355