Do you speak English? | Parlais vous Français?

Deixo partir

Sinto-me a chegar ao fim de um sonho.

Hoje, deixo partir do meu corpo, mente e espírito, a certeza que tinha de, um dia, voltar a sentir o meu ventre a gerar nova vida. Vou ser mãe de um só filho nascido e abençoo os que, não chegaram a nascer.

Hoje, deixo partir o do meu corpo, mente e espírito, o desejo de, diariamente, sentir os meus pés sob a terra, estar rodeada de árvores, cultivar e ver crescer o alimento que ponho na mesa.

Hoje, deixo partir do meu corpo, mente e espírito a vontade de criar o meu filho em casa, entrego-o à vida, como aconteceu com a maioria das crianças nascidas nesta época e localização geográfica.

Hoje, deixo partir do meu corpo, mente e espírito, a minha anterior renuncia ao mercado de trabalho. Aceitarei sem questionar as possibilidades de trabalho remunerado que me surjam e farei o meu melhor para responder de forma clara e agradecida às solicitações que me foram feitas.

Hoje, deixo partir do meu corpo, mente e espírito, o desejo de ver e sentir quem me rodeia feliz e saudável. Nada posso face ao percurso escolhido pelos outros.

Hoje, deixo partir do meu corpo, mente e espírito tudo o que alguma vez pensei saber sobre o amor e os relacionamentos amorosos. O amor É, sem necessidade de expectativas. Está em todo o lado.

Hoje, deixo partir do meu corpo, mente e espírito, a ideia de que posso ajudar ou influenciar positivamente alguém com as minhas palavras ou actos. Esvazio-me de todo o conhecimento. Eu, nada sei.

Sinto que quanto mais caminho para os meus desejos e objectivos, mais deles de afasto. Hoje, entrego-os a todos, desfaço-me deles, torno-me mais leve. Chega.

Praticamente tudo o que partilhei neste blog deixa de fazer sentido, se nunca vai ser a minha realidade.

Espero, assim, seguir mais leve e presente para o milagre que, todos os dias, desabrocha nos meus braços.

Parto com a tristeza de quem enterra um sonho mas com a alegria tranquilidade de quem teve a lucidez de o fazer.

Foram 5 bons anos de descobertas e partilhas.

Grata a quem me acompanhou.

Gratidão ♥ *•.¸Paz¸.•♥•.¸Amor¸.•♥•.¸Sabedoria¸♥ •.¸Prazer¸.•♥•.¸Alegria¸.•♥•.¸¸ Vida

4 comments:

  1. Há a possibilidade de meios-termos, C..
    A sério que há.

    ReplyDelete
  2. Obrigada por tudo o que aqui partilhas-te.
    Espero que um dia possas vir a voltar, um até já (se tal for possível) e boa sorte para o futuro que se avizinha.

    Há coisas que são inexplicáveis e não devemos focar-nos em explicá-las pois senão damos em doidos.

    Um grande abraço e um beijo de alguém que te compreende de alguma forma (mesmo que não totalmente), de alguém que passou um percurso idêntico.

    Desejo-te muita força.

    ReplyDelete
  3. Estou com lágrimas nos olhos...
    Muita força e obrigada por todas as tuas partilhas e por me teres possibilitado ser a mulher que sou hoje.
    "a ideia de que posso ajudar ou influenciar positivamente alguém com as minhas palavras ou actos. Esvazio-me de todo o conhecimento. Eu, nada sei."
    Não posso de todo concordar com este ponto. Sabes muito sim, e podes ajudar muito sim. A mim ajudaste e continuas a ajudar. Mudei drasticamente a forma de encarar a minha relação e os problemas e os resultados são enormes!

    Grata por tudo e força no teu caminho =)

    ReplyDelete
  4. Não é desistir, é libertar, ficar mais leve, continuar sem o peso da resistência, estou cansada de resistir ao que é e há coisas que não dão mesmo para ser em meio termo, não consigo "meio engravidar", nem "meio viver no campo", nem "meio ajudar a viver bem com cancro", nem "meio viver sem dinheiro na cidade", nem meio... tanta coisa.... mas consigo viver a 100% aquilo que é, e que não é nada do anterior :)

    Dentro do que é, continuo a partilhar umas coisas que me passam pela cabeça, porque sim, porque gosto, já sem expectativas de chegar a nenhum sítio específico...

    Obrigada pelas vossas respostas ao meu exercício de esvaziamento. Souberam bem...

    ReplyDelete