Do you speak English? | Parlais vous Français?

Criopreservação

Preservamos sangue do cordão umbilical que, comprovadamente, é essencial chegue ao bebé, no momento e forma pré-determinada pela natureza:

"Childbirth experts are urging the NHS to reverse the policy it has pursued since the 1960s of clamping and cutting a baby's umbilical cord as soon as it is born, citing mounting evidence that this may leave newborn babies deprived of vital blood from the placenta."
http://www.guardian.co.uk/society/2013/apr/25/cutting-cord-babies-risk-nhs

Todos os meses, deitamos fora, sangue que tem as mesmas características que o sangue de que privamos as nossas crianças:


Can Mail-In Menstrual Blood Banks Help Save Lives? | TIME.com

Banking Menstrual Stem Cells | What are Menstrual Stem Cells | Cryo-Cell
 
Ou escolhemos dar, à nascença, as reservas de ferro que vão permitir ao bebé viver os primeiros meses de vida sem riscos e com vitaminas e nutrientes essenciais ao seu bom desenvolvimento - pois todos estes são transferidos, através do cordão, quando este pode deixar de pulsar de forma natural - ou escolhemos criopreservar esse mesmo sangue para que, quem sabe, talvez, um dia, se a criança que foi privada do que a natureza lhe destinou à nascença, possa vir a ser ajudada a superar uma hipotética doença. doença essa que, até pode ter sido causada por essa privação inicial. 

Um cordão umbilical que é cortado antes de parar de pulsar, obriga o bebé a respirar de forma abrupta. Ao nível físico isto pode representar um mau funcionamento do sistema respiratório e é o responsável pela morte súbita e embolias pulmonares - infelizmente, ninguém quer falar nisto. Também ao nível físico, devido ao stress que provoca na criança, atrapalha a amamentação e a vinculação.

Ao nível emocional, representa a sobrecarga por adrenalina e cortisol num momento já de si tão traumatizante.

Ao nível espiritual representa o acolhimento num mundo de escassez. Cortar o cordão antes de ele parar de pulsar é dizer à criança, "respira ou morres", "sofre ou morres".
Para a mãe, implica problemas a parir a placenta, pois o corte abrupto do cordão impede que a placenta receba a mensagem de que já não é necessária no útero e se iniciem as contrações para a expulsar. Isto obriga, tantas vezes, a injeções de oxitocina para "facilitar" a expulsão da placenta - indução - , a que a placenta seja dolorosamente arrancada, a massagens igualmente dolorosas para retirar coágulos que nem deveriam existir, a placentas rasgadas e consequentes problemas relacionados com endometriose.

Quantas de vocês sabem se a expulsão da placenta, no vosso parto, foi ou não induzida?

Aliás, quantas coisas não sabes sobre os procedimentos a que foste sujeita durante o parto e eus benefícios para ti e para o teu bebé (ou bebés)? Porque não sabes?

 
Outras mensagens neste blog

Corte do cordão umbilical

Gratidão ♥ *•.¸Paz¸.•♥•.¸Amor¸.•♥•.¸Sabedoria¸♥ •.¸Prazer¸.•♥•.¸Alegria¸.•♥•.¸¸ Vida

No comments:

Post a Comment