Do you speak English? | Parlais vous Français?

Não há quem aguente! Os nossos filhos também não iriam aguentar!



Quando o Sebastião nasceu imaginava uma vida muito ecológica, certinha, cheia de alimentos perfeitos, sem tv, sem violência, com as melhores escolas....

Ainda que me continue a acreditar que é importante fazer boas escolhas, percebi rapidamente que eu devo escolher e praticar porque ele, ou me imita ou vai explorar livremente outras opções.  O mundo é muito vasto e o que eu quero é que ele o conheça toda as opções para, mais tarde, poder escolher em consciência.

O que tem acontecido é que ele quer experimentar tudo para rapidamente voltar ao que lhe é mais familiar.

Por isso mesmo, ele adora pizza e come tudo o que tenha trigo, eu não. Depois de uns dias a comer pizza, faz uma auto-imposição de frutas durante um dia inteiro e lá volta a comer "normalmente". Tendo dar-lhe pizzas sem gluten e com alimentos frescos mas se pedir uma fatia de pizza do café, também dou, nem que seja para ele provar e perceber que não presta como aliás, já aconteceu.

Ele vê montanhas de desenhos animados e são eles a única tv que eu vejo porque gosto de o acompanhar. Sim, vê toda a tv que quer, sempre que quer, a qualquer hora. Mas não vê tv todo o dia, geralmente pede desenhos animados específicos (não temos cabo) e quando já está com sono ou se não há nada mais interessante para fazer. Alguns dos desenhos animados que ele adora são completamente idiotas mas gostamos de os ver e de aprender as falas e músicas para depois brincar com ele. Também gostamos de explorar os temas bases dos desenhos animados e essa exploração transforma qualquer idiotice num regalo. ora digam lá se não tem piada colecionar cristais porque o Sportaco tem um cristal? E andar de barco como os octonautas? Ou andar de cavalo como o zorro? Há sempre algo de interessante a explorar.

O meu filho acredita em fadas, acha piada ao pai natal mas não faz ideia que ele dá prendas porque em nossa casa nunca apareceu nenhum pai natal a dar prendas. Se alguém lhe contar que o pai natal existe, pois bem, existirá porque o São Nicolau existiu e é tão digno de ser recordado como qualquer outro mortal.

Se lhe oferecerem um copo, prato, roupa, brinquedo, calças ....  do produto mais químico do planeta e ele o adorar, vai utiliza-lo até se fartar. Se eu escolher algo para comprar, tenho cá os meus parâmetros de perfeição mas se for uma prenda e se o faz feliz não troco a libertação de cortisol que lhe causaria a negação da bomba química por uma existência paraben ou bisphenol free, o meu filho não é um boneco nas mãos de ativistas. Posso falar com o adulto que ofereceu a bomba química, posso encontrar formas de substituir o objeto em causa por um mais "saudável", se a troca for viável e ocorrer sem stress, mas sempre sem bombardear a criança com essas preocupações. Geralmente, não há que preocupar pois os brinquedos mais perigosos são os que se partem passadas 24 horas.

Ele salta e corre a atira-se aos outros miúdos no parque, quando isso acontece eu retiro-o da situação e procuro responder ao problema base que pode ser sono, fome, não gostar daquele parque ou daquele menino.... se outra criança bate no meu filho tento separa-los e tento encontrar formas pacíficas de resolver a situação - normalmente seguindo a mesma lógica de levar o meu filho para um sítio mais calmo e passando a evitar aquela criança - mas, se não os consigo afastar na hora e a mãe da criança se mantém surda e muda, não tenho pejo em intervir mais assertivamente. Não foi sempre assim, costumava engolir as agressões com um sorriso até que, de tanto engolir, uma vez explodi em cima do miúdo proibindo-o de voltar a tocar no meu filho e não fosse a gravidade do ferimento do meu filho e os vestígios de "mãe progre" teria passado muito bem com a situação. O puto sabia que estava insistentemente a agredir uma criança 3 anos mais nova, percebeu muito bem os meus gritos porque os miúdos leem emoções, não leem sorrisos que escondem irritação engolida.

Quanto às escolas especiais, pelo que experienciei até agora, estão cheias de sorrisos. teorias lindíssimas,  objetos perfeitamente concebidos para tornar os nossos filhos em criaturas tão divinas quanto os seus mentores mas, estão cheios de adultos de carne e osso que não sabem o que fazer com dezenas de crianças aglutinadas numa sala e, em nome da doutrina que professam, escondem ao máximo as suas emoções mostrando aos meninos que tudo está bem se for devidamente escondido, muito camuflado e caro.

Gratidão ♥ *•.¸Paz¸.•♥•.¸Amor¸.•♥•.¸Sabedoria¸♥ •.¸Prazer¸.•♥•.¸Alegria¸.•♥•.¸¸ Vida

2 comments:

  1. "o meu filho não é um boneco nas mãos de ativistas" - ADOREI.

    ReplyDelete
  2. pois, o anjo caído das escolas alternativas...

    ReplyDelete