Do you speak English? | Parlais vous Français?

Dores do parto e óleos essenciais

Durante o trabalho de parto é possível utilizar variadas formas de minimização da dor. De entre elas agrada-me a utilização de óleos essenciais.
Estas combinações de óleos essenciais podem ajudar a aliviar as dores de parto se massajadas no abdómen durante a gravidez e parto:
"Sweet Lavender Relief"
  • base de óleo de amêndoas doces puro
  • 10 gotas de O.S. de lavanda 10 drops
  • 6 gotas de O.S. de Salvia sclarea
  • 4 gotas de O.S. de geranium 4
  • 2 gotas de O.S. de jasmim
  • 3 gotas de O.S. de rosa
"Heaven and Earth"

  • base de óleo de amênoas doces puro;
  • 8 gotas de O.S. de Nardostachy
  • 7 gotas de O.S. de jasmim
  • 3 gotas de O.S. de verbena limão

As mil e uma utilizações do leite materno



No encontro que decorreu na Mouraria dia 23 de Maio, dedicado à getação e 1ª infância, fiquei a saber que o leite materno pode ter muito mais utilizações do que a de amamentar o recém nascido.

Na altura a minha reacção foi de cepticismo mas, pelo respeito que tenho elas mães presentes e que partilhavam as suas experiências, decidi pesquisar mais sobre o assunto. Eis algumas das utilizações testadas e communmente aceites para o leite materno:

  • Tratamento da Acne - pode ser utilizado embebido em algodão (não sintético) como leite de limpeza facial;
  • Leite de limpeza facial- pode ser utilizado, embebido em algoão, para retirar maquilhagem;
  • Queimaduras/ Queimaduras Solares- aplicar algumas gotas sobre as queimaduras - alivia de imediato a dor;
  • Lábios gretados - aplicar umas gotas de leite directamente nos lábios, várias vezes ao dia - devem sarar num dia;
  • Cortes, arranhões - limpar a área utilizando leite materno ou água, posterioemente, colocar algumas gotas sobre a ferida e deixar secar naturalmente, sem cobrir. Tabém se pode utilizar algoão ou gaze. Se a ferida for na boca bo bebé, permitir que este se alimente directamente do peito materno;
  • Assaduras de fralda - limpar com água, aplicar leite materno generosamente sobre a área afectada e deixar secar naturalmente. Colocar a fralda apenas depois de a área estar seca;
  • Infecções dos ouvidos - colocar algumas gotas de leite materno nos ouvidos seguido de azeite morno (não quente) e alho (ou óleo de alho) - já ouvi testemunhos de avós portuguesas que se recordam de ser utilizado nas suas aldeias, leite materno para a cura de otites mas, infelizmente, não sabem já dar mais pormenores sobre o processo;
  • Olhos vermelhos/ conjuntivite bacteriana- colocar, durante alguns minutos, compressas ou algodão embebido em leite meterno sobre os olhos fechados;
  • Picadas de insectos - colocar leite meterno directamete na picada. Elimina a comichão;
  • Mamilos gretados - limpar abundantemente com leite materno, deixar secar naturalmente, sem cobrir;
  • Varicela, Sarampo etc.... colocar leite materno sobre as borbulhas eliminará a comichão;
  • Verrugas - colocar algodão embebido em leite materno sobre a verruga, duas vezes por dia, durante alguns minutos.

via http://mothering.com/more-ways-use-breastmilk

Aliviar as dores nas pernas durante a gravidez

As nossas pernas estão expostas a um esforço adicional durante a gravidez e como tal devem ser alvo de cuidados especiais, sobretudo no terceito trimestre que é quando o volume sanguíneo atinge o seu auge.

Algumas dicas para aliviar sintomas como pernas pesadas, veias varicosas, tornzelos inchados...

- Adicionar uma gota de óleo essencial de lavanda, geranium ou rosmaninho a uma colher de chá de óleo neutro (como o de amêndoas doces) e massajar, desde os pés, em sentido ascendente . Cada um destes óleos ajuda a estimular o sistema linfático e drenar o excesso de liquidos.

- Juntar 3 gotas de óleo essencial de limão (ou de outro citrino) à água do banho para obter um efeito diurético suave.

Exercícios:

- Deitar com as pernas levantadas, por exemplo, estando encostada a uma parede. Esta posição também é boa para ir treinando os exercícios Kegel.

Já está disponível o programa do Evento Barrigas de Amor - 28 Junho - Oeiras

Podem consultar aqui o programa completo que inclui muitas actividades para grávidas, papás, bebés, crianças, avós e muito mais...

Apoiar o Povo Iraniano - Largo do Chiado - 16 de Junho - 17:00 - 21:00


Anfitrião:
Tipo:
Rede:
Global
Data:
Terça-feira, 16 de Junho de 2009
Hora:
17:00 - 21:00
Local:
Largo do Chiado
Cidade/Localidade:
Lisbon, Portugal
E-mail:

GLOBAL PROTEST: IRANIANS AROUND THE WORLD GATHER AT YOUR EMBASSY, UNIVERSITY, MAIN SQUARE, ETC. FOR A SILENT PROTEST.
SUBJECT : WHERE IS MY VOTE?
TAKE PHOTOS OF YOUR PROTEST FOR OUR ONLINE PHOTO ALBUM ON FLICKR.


WHERE IS OUR VOTE? THESE RESULTS ARE NOT FROM OUR VOTES. WE VOTED AND WE WANT OUR VOTES TO COME OUT OF THE BALLOTS, CORRECTLY AND ACCURATELY.

Exemplos de exercícios de Meditação durante a gravidez

A preparação para o parto pode ser feita a nível intelectual, físico, emocional e espiritual. Por isso mesmo é tão importante criar o espaço físico e mental viver a gravidez e para acolher esta nova vida.

A data prevista para o parto é apenas uma estimativa e os nove meses de gravidez apenas uma média, assim sendo, será melhor pensar que a data do nascimento é no fim do mês de X do que no dia Y. Pode também ser boa ideia comunicar a toda a gente a data do parto como sendo para umas semanas depois da semana prevista e evitar desta forma ser inundada de telefonemas no hora H.

Fazer exercícios de meditação e visualização pode ajudar a viver de forma mais consciente a gravidez e nascimento.

Meditar é encontrar um local seguro dentro de nós, um quarto só nosso e visualizar não é mais do que ver com a imaginação.

É tão simples quanto:

- procurar um local onde se possa estar tranquila durante 15 a 30 minutos por dia (ir aumentando o tempo com a prática. Pode-se começar com 10 minutos);
- respirar fundo várias vezes seguidas e focar toda a atenção na respiração;
- colocar as mãos no abdómen e ir diminuindo a frequência das inspirações - permitir que a respiração seja cada vez mais lenta e profunda;
- Imaginar o bebé e dizer em silêncio:
  • O meu corpo tem tudo o que o meu bebé necessita;
  • O meu corpo sabe como dar à luz
  • O meu bebé sabe quando nascer
- Repetir estas afirmações algumas vezes enquanto se respita profundamente, sempre com as mãos no abdómen.
- Terminar com alguns momentos de respiração silenciosa.



Construir em casa um pequeno "templo" dedicado à gravidez pode fonte de inspiração e motivação para esta "viagem" retrospectiva.

Especialmente no final da gravidez preocupa-mo-nos muito com o quarto do bebé, a sua mobília e decoração mas raramente criamos para nós mesmas um espaço de paz e tranquilidade.

Não necessita de ser uma divisão inteira da casa. Um pequeno canto ou mesa bastam para reunir objectos importantes e significativos (religiosos ou não), fotografias de pessoas queridas, tecidos com cores inspiradoras, pequenas conchas, flores ou até pedras recolhidas em caminhadas especiais.

Sentar de pernas cruzadas e observar por instantes o "templo" que construímos, pode ajudar a transmitir a calma necessária para iniciar os exercícios de meditação e visualização.

Sentar de pernas cruzadas é também uma forma de fortalecer os músculos pélvicos e preparar o corpo para o parto.




Afirmações para a gravidez e parto:

  • A gravidez é um estado natural, normal e saudável para mim e para o meu bebé.
  • Eu e o meu corpo somos amados e apoiados.
  • É seguro para mim ter o meu bebé.
  • Não há nada a temer
  • Eu estou calma e relaxada. O meu bebé sente a minha calma e partilha-a comigo.
  • Eu e o meu bebé estamos preparados para a vida.
  • O bebé está a fazer naturalmente tudo aquilo que tem que fazer.
  • Os movimentos do meu útero estão a massajar e embalar o meu bebé.
  • O ritmo do meu útero, enquanto se expande e contrai, aproximam-me do meu bebé.
  • O meu bebé está a descer naturalmente.
  • O bebé cabe perfeitamente na minha pélvis.
  • O meu corpo expande facilmente para o meu bebé passar e emergir nas nossas mãos.

Passos para uma vida saudável


Durante a gravidez uma das questões que mais nos preocupa é se estamos, ou não, a levar uma vida saudavel e compatível com um gestação igualmente saudável.

No meu caso preocupava-me o acto de fumar, tomar medicação vária e não comer carne, leite, entre outros, durante a concepção e primeiras semanas da gravidez.

Rapidamente decobri que nas primeiras semanas de vida o que o embrião absorve da alimentação materna é praticamente nada e que por isso estes comportamentos em nada o iriam prejudicar. Aliás, muitas grávidas passam os primeiros meses de vida enjoadas e sem quae conseguir comer sem que isso seja prejudicial para os seus filhos.

Também percebi rapidamente que a carne e o leite não são obrigatórias na alimentaçã de uma grávida. Claro que não resisti à pressão externa e intrduzi algumas alterações como a ingestão de ovos (menos de uma vez por semana), frango do campo menos de uma vez por semana e peixe cerca de uma vez por semana. O leite continua excluído da minha alimentação e espero que para sempre.

Se tivesse pensado em engravidar antes de ter de facto engravidado, gostaria de ter planeado as coisas de forma a ter uma vida mais saudável durante os meses que antecedem a concepção. Faria coisas dificílimas como parar de fumar e fazer exercício físico (incluindo os famosos Kegel) e outras muito simples ingerir omega 3/6/9 e ácido fólico.

Claro que se fosse esperar pela planificação de uma gravidez para que ela pudesse acontecer nunca, jamais ficaria grávida porque nunca me sentiria preparada para tal coisa. Assim sendo, ainda bem que as coisas aconteceram desta forma, mesmo sem o ácido fólico, sem o exercício e com uns (bastantes) cigarritos pelo meio (só até ao predictor positivo).

Para quem ainda vai a tempo de planear uma gravidez ou simplesmente para para quem quer viver de forma mais saudável, aqui ficam algumas dicas que podem ajudar:

Comprometimento a 100%: escolher um dia para começar e preparar-se para dispender tempo e energia na mudança.

Avaliar as nossas motivações e capacidades de forma honesta: Exactamente quantos cigarros fumo por dia? Qual a quantidade de alcool que ingiro? Quais os factores que desencadeiam a necessidade de consumir estas substâncias? Quero realmente parar o seu consumo?

Avaliar o nosso sistema de suporte: quem ão as pessoas que mais me poderão ajudar na mudança? quem conheço que tenha introduzido ests mudanças com sucesso e que me pode acompanhar? Todas as mudanças se tornam mais fáceis se forem bem acompanhadas.

Planear uma mudança gradual: É muito mais saudável para a mãe a para o bebé ir intrduzindo alterações graduais do que empreender em mudanças bruscas. Fazer as coisas passo a passo terá o benefício de causar menos stress, evitar recaídas e de permitir que o organismo de adapte às mudança. Por exemplo, eliminar todas as gorduras da alimentação de uma só fez, fará com que o organismo procure as gorduras que acolmulou ao longo dos anos o que trará para a circulação sanguínea as toxinas que o próprio organismo "escondeu" jundatamente com essas gorduras (essencialmente por não saber como se livrar delas). Desta forma, a procura de uma dieta em princípio mais "saudável" estará a ser muito prejudicial tanto para a mãe como para o bebé.

Substituir: Susbituir um hábito nefasto por um mais saudável pode ser a solução. Ajudou-me muito comer fruta de cada vez que pensava em fumar um cigarro. Ou dar um passeio a pé em vez de ir ao café depois do almoço. Durante umas semanas comprava uma raspadinha para acompanhar o café e substituia o prazer do cigarro pela expectativa de ganhar 5000 euros (funcionou como métido de substituição mas não ganhei nadinha. De qualquer forma, estava a gastar 1 euro por dia em vez dos quase 4 que pagava diariamente por um maço de tabaco).

Fazer exercicio físico e beber muita água é essencial para assegurar o sucesso destas mudanças.

Durante a gravidez não se deve consumir substitutos de cigarros que contenham nicotina pois estes chegam à circulação sanguínea mais rapidamente que os próprios cigarros.

Também se devem evitar todo o tipo de diuréticos e desintoxicantes (incluindo algas) pois podem trazer "à superfície" toxinas acomuladas no organismo e que devem ser eliminadas gradualmente.

A Birth Video Collection - Vídeos de partos na água

Vale a pena ver este conjunto de vídeos de partos na água para tirar todas as dúvidas.

A compilação foi feita por Kristen Burgess, autora do website e blog Natural Birth and Baby Care.


O seu trabalo é uma fonte "quase" inesgotável de informação sobre tudo o que é natural e que diz repeito a pais e bebés.

A sua história pessoal é também muito inspiradora.

Foi através deste website que fiquei a conhecer a revista mothering

Wise Woman Herbal for the Childbearing Year


Wise Woman Herbal for the Childbearing Year

Shared via AddThis

Diaper Free! The Gentle Wisdom of Natural Infant Hygiene


Diaper Free! The Gentle Wisdom of Natural Infant Hygiene

Shared via AddThis

Our Babies, Ourselves


Our Babies, Ourselves

Shared via AddThis

Sling de Rede para a praia/água

Estou a ler o contínuum concept e uma das ideias que a autora advoga com mais veemência é a necessidade dos recém nascidos estarem em contacto permanente com a mãe (leia-se mãe ou cuidador/a).

Diz-nos Jean Liedloff que desde que o ser humano passou a movimentar-se na posição vertical, a responsabiliade de manter o contínuo mãe/filho passou a ser da progenitora e não da criança. No entanto, isto não diminui a necessidade que os bebés tem de contacto humano permanente. Este contacto permite estabelecer um contínuum entre o útero materno e o mundo exterior proporcionando à criança uma apropriação mais positiva das novidades que a rodeia.

A utilização do sling ou do pano porta bebés, surge assim como um instrumento de extrema importância para o bebé e não apenas como um acessório de moda ou uma conveniência para a mãe que mais facilmente transporta o seu filho.

Agora mesmo fiquei a conhecer os novos slings de rede da Rosa Pomar, descritos como
"bons para a praia e para tomar banhos de mar". É ou não uma excelente ideia?


Vamos Construir o Banco Comum da Horta Mais Popular de Lisboa | 15 e 21 de Junho


OLÁ a todos!

No próximo Domingo dia 14 de Junho, pelas 15h,
Vamos Construir o Banco Comum da Horta Mais Popular de Lisboa.
Vem Construir connosco!


Um Banco para nos podermos sentar, deitar, rir e chorar, beijar, cantar e dizer à cidade de Lisboa que afinal ainda aqui estamos e por cá vamos continuar, a olhar-te daqui de cima desta linda horta à beira da Mouraria e Graça plantada!

PET
O método de construção com garrafas de plástico, é um método recente que (re)utiliza garrafas de PET (polímero elelmmkmk trálálá) procurando:

_ajudar a reduzir quer o desperdício massivo de materiais industriais provenientes do nosso modo de vida contemporâneo;
_evitar os gastos energéticos resultantes da gestão e reciclagem destes mesmos recursos.

É um sistema de construção que começou por ser aplicado pelo arquitecto Andreas Froese (ECOTEC) e que actualmente tem sido bastante utilizado por comunidades locais de países como a Índia ou Honduras, na construção de equipamentos e infraestruturas básicas como tanques de armazenamento de água, muros de suporte, habitações familiares ou mesmo escolas públicas.

As grandes vantagens de construir com garrarfas PET são:

Reutilização: é um sistema de construção com baixo impacto ambiental – sobretudo na cidade -, pois usa garrafas de plástico no fim do seu ciclo de vida, diminuindo bastante os gastos económicos e energéticos nos processos de reciclagem, em particular em países menos desenvolvidos onde não existindo pontos de reciclagem e tratamento de resíduos sólidos, são deitados em plenas ribeiras de água ou enterrados em lixeiras a céu aberto, poluindo e provocando alterações profundas a nível ambiental.
Económico: reaproveita desperdícios da cidade, permitindo poupar cerca de 50% em material quando comparado com o sistema de construção tradicional, tornando-se assim mais barato;
Auto-construção: é um processo de construção simples e acessível a qualquer pessoa, o que o torna numa ferramenta alternativa para a resolução de problemas das comunidades locais, face aos elevados custos materiais e da mão de obra especializada.
Trabalho em equipa: potencia o trabalho de equipa, fortalecendo as relações pessoais e sociais, assim como o sentimento de entre-ajuda em comunidade.
Durabilidade: as garrafas PET têm um tempo de degradação ambiental entre 200 e 300 anos.

Para mas informações consulta:
www.eco-tecnologia.com andreasfroese@yahoo.com
ou contacta:
Andreas Froese / Alessa Bennaton: alessabs@gmail.com

GAIA - Grupo de Acção e Intervenção Ambiental
http://gaia.org.pt

Travessa da Nazaré, 21, 2º Lisboa, 15 1000-234 Portugal


Divulguem!
______________________________

Design Utilitário #1

www.driinn.com disponível em www.luvom.com (Rua da Escola Politécnica)
Preço 5 euros

Uma Salada Especial

Às Terças-Feiras tenho o prazer de ir ao Projecto 270, na Caparica, onde posso relaxar um bocadinho e colher/comprar os ingredientes para refeções muito especiais.

A semana passada segui as sugestões do Belchior (responsável pela cultura biológica da quinta), juntei ingredientes que já tinha em casa e fiz uma salada colorida, aromática e muito especial.

Aqui ficam as fotos, que tirei in loco, e a lista dos ingredientes:

Ingredientes:
- Alface;
- Grão de Bico;
- Courgette amarela (crua, tempera-se com sal e deixa-se repousar antes de adicionar à salada);
- Rama de beterraba (crua);
- Flor de Nabo;
- Flor de ervilha de cheiro;
- Flor de Isopo (as folhas são óptimas para aromatizar manteiga);
- Flor e folha verde de amaranto;
- Espinagre limão (cru, não se pode temperar com vinagre);
- Hortelã silvestre;
- Óleo de linhaça;
- Flor de sal.

Tomar Lego 2009

Entre 11 e 14 de Junho, Tomar recebe a segunda edição do “TOMARLEGO”, que tem lugar no Pavilhão Municipal de Tomar.

O evento possui dois espaços distintos para os visitantes: a zona de exposição e a de actividades lúdicas. Em exposição, podem ser vistos uma grande cidade, comboios, dioramas de temáticas históricas e fantasiosas, máquinas funcionais e veículos sortidos. Durante o evento realizam-se concursos de construção com aliciantes prémios para os vencedores.

Vá de comboio ao TOMARLEGO e aproveite os 20% de desconto nos bilhetes de ida e volta nos comboios regionais com destino a Tomar. A entrada no recinto do evento é gratuita mediante a apresentação do bilhete do comboio.


Mais infos em: http://eventos0937.miniancora.com/2009/tomarlego/

Constelações Familiares - As respostas


Não vou dissertar sobre o assunto. Vou directamente à fonte:

Como individuos, todos temos uma familia. Mesmo as pessoas mais solitárias ou que foram adoptadas têm uma família de origem. Todos fazemos parte da história da nossa familia. A nossa ligação a esta história é muito profunda , tendo uma forte influência de que nem sempre estamos conscientes. Essa história pode apoiar ou bloquear o fluir da Vida. As acções ou factos ocorridos ainda antes de nascermos têm influência directa em nós e/ou noutras gerações vindouras.

O método principal das Constelações Familiares é a revelação das dinâmicas ocultas no sistema para que possam ser trabalhos e sanados.

As Constelações abordam os factos da vida e morte com Amor, mas sem floreados, evitando quaisquer defesas, distorções ou negações.

Esta é uma terapia que somente experimentando se consegue apreender, por trabalhar com uma energia de consciência para lá de qualquer entendimento meramente mental. Os participantes saem geralmente dos workshops com um entendimento mais transparente e transformador deles próprios e dos outros, bem como do poder do Amor e das forças ocultas que governam as relações humanas.

ALGUNS TEMAS POSSÍVEIS A TRABALHAR:

  • Problemas no relacionamento com cônjuge/ex-cônjuge
  • Problemas no relacionamento com pai/mãe
  • Problemas no relacionamento com os filhos
  • Doenças físicas, emocionais ou psícológicas (depressões, cancros, etc)
  • Resgate da Criança Interior / Problemas de infância
  • Acidentes frequentes
  • Dificuldade em ter filhos/engravidar
  • Violações ou abusos
  • Vícios e dependências (drogas, álcool, remédios, jogo, etc)
  • Sentimentos/sintomas físicas sem causa justificada
  • Exclusão familiar
  • Ansiedade persistente e inexplicável
  • Sentimentos de solidão e/ou abandono
  • Sentimentos de culpa
  • Dificuldade em mostrar afecto
  • Insegurança permanente
  • Angústia
  • Agressividade ou submissão
  • Revolta interior
  • Sentimento de vazio interior
  • Dificuldade em tomar iniciativas
  • Falta de auto-estima/amor-próprio
  • Tendências suicídas
  • Medos
  • Bloqueio no fluxo do dinheiro / Dificuldade em lidar com o dinheiro
  • Bloqueio num negócio / na vida profissional

As Constelações Familiares funcionam ao nível subconsciente e da Alma, pelo que mesmo os membros da família que já morreram fisicamente continuam a pertencer à família e continuam a influenciar e a ser influenciados pelas dinâmicas familiares.

Num Workshop de Constelações, o grupo funciona como um círculo de cura, com uma atitude cooperante, amorosa e confidencial. No entanto, se houver algum tema ou facto muito marcante que o cliente não queira partilhar no grupo, pode ser partilhado em particular com a facilitadora.

Uma Constelação Familiar pode ser comparada a uma árvore genealógica viva, montada por um membro da família em que os restantes elementos da família são representados por pessoas presentes no Workshop.

Para que as dinâmicas ocultas se revelem, são escolhidos representantes para as pessoas envolvidas no tema a trabalhar. Através da energia da pessoa que coloca a sua constelação, acede-se ao campo morfogenético da família, a Alma da Familia. Esse campo de energia envolve os representantes e qualquer alteração de energia afecta os todos os membros.

Através dos sentimentos, sensações e percepção que os representantes recebem desse campo de energia e que se manifestam através de palavras, posturas do corpo, olhares e posicionamento na constelação são dadas pistas ao facilitador que o conduzem ao ponto onde o Amor deixou de fluir.

O facilitador utiliza como ferramentas principais a intuição e uma apurada capacidade de observação, sem expectativas, fluindo com a energia da Constelação.

Através de frases de cura, reconhecimento, aceitação ou desvinculação, cada membro da família pode retomar o seu lugar, reestruturando assim a Constelação de acordo com as “Ordens do Amor”. E finalmente o fluxo livre e consciente do Amor é restabelecido, curando e transformando sentimentos de culpa e raiva em energia de Amor.

Após uma Constelação, o cliente não tem de contar nada à sua família sobre o que se passou. Fica simplesmente a observar o impacto do movimento gerado, integrando a nova imagem interna da família e aplicando alguma solução prática que tenha surgido durante a Constelação.

Este trabalho foca-se no poder curador do que é e não do que gostaríamos que fosse, é orientado para a solução e não para o problema, curando o problema actual através dos antepassados e repondo a Verdade para que actue o Amor Iluminado.

Este trabalho tem uma tripla componente terapêutica:

  • Como observador - O simples facto de se estar presente e observar o trabalho que está a ser desenvolvido no decorrer do Workshop pode desencadear um processo de cura. A maior parte dos participantes trabalham bastante só por estarem a observar as Constelações dos restantes membros do grupo, uma vez que ocorrem situações idênticas nas suas vidas e/ou na dos seus familiares. Por isso, como observador, pode aproveitar ao máximo todos os momentos para levar Luz ao seu mundo interior e à sua vida, dando inteira liberdade às emoções que aflorarem dentro de si.
  • Como representante - ser escolhido como representante leva à vivência de situações que podem ter que ver com o sistema da pessoa que foi escolhida, desencadeando um processo de cura;
  • Colocando a sua própria constelação – a colocação de um tema ou situação específica, por exemplo, a sua relação com os seus pais ou de casal, situações de perda, sintomas, entre outras, gera um movimento interno da parte dos representantes que desvenda e traz à Luz uma dinâmica desconhecida desencadeando (junto do cliente) um processo de cura.
Mais em: www.portais.org/

Feira de Artesanato no Jardim da Estrela

Jovens casais de namorados, muitas famílias com filhos e filhas, festas de aniversário infantis ao ar livre, crianças com triciclos de madeira, amigos a jogar às cartas, banhistas de jardim a aproveitar a tarde fresca e os raios de sol.

Tudo isto emoldurado por muitas flores coloridas, cactos gigantes e árvores centenárias.

O passeio ficou completo com a visita aos stands de artesanato da feira de Crafts e Design.




Fiquei encantada com as Marioskas da Maria Saldanha seus bebés e, claro, gatos!!!

Já imagino um casal com 2 gatos e um bebé! Nós, claro!!!






Tive que me controlar para não trazer para casa todo o enxoval do Sebastião feito pela Mulher de Gengibre. nem sempre se encontram padrões de menino tão bonitos.


E o que dizer do arco-iris que nos apresenta Margarida Gorgulho nas suas porcelanas?







Também gostei muito das babetes de Mão Maria


Prémio da Família mais numerosa de Portugal | 1964


A 11 de Dezembro de 1964, os meus avós paternos deslocaram-se a Lisboa, ao Palácio do Presidente da República (Tomás Ribeiro) e sua esposa Gertrudes, para receber o prémio da Obra das Mães pela Educação Nacional que homenageava, em nome da Dª Gertrudes, a família mais numerosa de Portugal. Contava a minha avó, na altura, com 17 filhos, 15 vivos!!!!

Comemorava-se a 27ª Semana das Mães e pretendia-se prestar homenagem às mães que "mais filhos deram à pátria".

Foram escolhidas 7 famílias de Portugal Continental e ilhas, sete mães que deram à Nação mas também à pobreza, à guerra do ultramar e à emigração mais de uma dezena de filhos cada uma.

Conta-se na família, que chegou à aldeia (Gemeses | Esposende) um embrulho de tecido para fazer roupas novas para progenitores e 15 filhos, tal como, sapatos para toda a gente. Para muitos, os seus primeiros sapatos!

Deslocaram-se a Lisboa, bem vestidos e calçados, acompanhados pelo padre da freguesia e por uma freira das Escravas da Sagrada Eucaristia, num autocarro também enviado pela Presidência da República.

As mais de 80 crianças, foram recebidas na sede da O.M.E.N. com um espectáculo de variedades e um lanche e seguiram viagem para a Sala dos Azulejos do Palácio de Belém. Consigo imaginar o silêncio respeitoso que se fazia sentir.

Esta família, de pai lavrador, foi notícia em todos os jornais nacionais que a descrevem, pelas palavras dos homenageadores, como "família exemplar","de grande valor", "um exemplo para a nação".

Na época, como agora, reconhecia-se a importância de apoiar as famílias numerosas "na sua difícil missão" e apelava a Srª Condessa de Penha Garcia (ainda gostava de saber quantos filhos ela tinha) a todas as "entidades públicas e privadas que não só lhes façam justiça, materialmente, mas também as compreendam e respeitem". Na época, como agora, as famílias numerosas passavam dificuldades imensas.

Só muito tarde soube deste prémio e nunca tive oportunidade de falar com a minha família sobre ele. Ninguém parece muito receptiva às memórias deste dia, falta-me averiguar os motivos.

Teria gostado particularmente de ter conversado com a minha avó Alice. Aliás, agora que a gravidez vai avançando a minha avó Alice é uma das mulheres que gostaria de ter presentes, a quem gostaria de ouvir contar experiências... e quanta experiência!

Meditação para Grávidas - Gratuito

Dia 15 de Junho, 2ª feira, vamos ter uma aula especial de Yogilates para grávidas,na Hug em Linda-a-Velha:

1ª parte: O Poder dos Mantras e das Vocalizações no trabalho de parto

2ª parte: Meditação guiada com visualização criativa do parto.

Apareçam ás 18 horas, a entrada É LIVRE mas necessita de inscrição previa pelo mail catarinapardal@sapo.pt

Catarina Pardal
Doula e Educadora Perinatal
Voluntária SOS-Amamentação
Conselheira em Aleitamento Materno OMS / UNICEF

catarinapardal@sapo.pt

http://gravidasemforma.blogspot.com

tel:919267844

Maternidade e Abraços | 9 de Junho Lisboa | 10 de Junho Porto


Portugal: Lisboa | 9 de Junho 2009 Porto | 10 de Junho 2009

Brahmachari Shubamrita Chaitanya – enviado de Amma, uma das maiores mestras espirituais da actualidade - vem a Lisboa e ao Porto para um programa gratuito que inclui a projecção de um filme, palestra, e meditação.

Sobre Amma:

Nas palavras de Maria Margarida Barros, tradutora para Português de A Via do Peregrino, de Jean-Yves Leloup:

A primeira vez que ouvi falar de Amma, foi através de um testemunho contado a Jean-Yves Leloup, que o relatou da seguinte forma: essa pessoa tinha estado num Encontro em que Amma abraça milhares de pessoas. Quando chegou a sua vez, um fim de tarde, depois de Amma ter abraçado ininterruptamente desde a manhã, Amma exalava um perfume de uma frescura estonteante.

Uma outra vez uma amiga de caminhada, contou-me, que tinha ido a um desses Encontros que se realizou em Paris. Foi, disse-me ela, um pouco receosa por estar a entrar em algo que poderia ter características de culto a uma personalidade. Depois de ter abraçado Amma, recorda esse momento como um dos mais belos e significativos da sua vida. (…)


No site de Amma, que tem toda a informação:

“A maternidade, em última análise, nada tem a ver com carregar uma criança, mas sim com amor, compaixão e altruísmo. Consiste inteiramente em dar-se aos outros. Se olharmos para a vida de Amma, é isso que vemos”. In www.amritapuri.org

Eventos:

Lisboa: 9 de Junho 2009, 19h30, Hotel Zurique (ao Campo Pequeno), Rua Ivone Silva, nº18, 1050-124 Lisboa

Preço: Gratuito

Porto: 10 de Junho 2009, 15h00, R. da Boa Viagem 3, Massarelos, 4150-290 Porto

Preço: Gratuito


Mais Informações através da Amma Portugal: ammaportugal@gmail.com

Fonte: http://www.grandyoga.com/pt/2009/05/09/portugal-brahmachari-shubamrita-chaitanya-enviado-de-amma-em-lisboa-e-porto/

Festa da Horta - Domingo 28 de Junho


Celebramos mais uma ano de existência da Horta Popular da Calçada do Monte a partir das 11h com Oficina da Eco-Construção, Chi Kung, actividades para crianças (pinturas faciais e jogos), pic-nic, debate sobre as hortas urbanas em Lisboa e concertos até ao pôr-do-sol.

No próximo Domingo dia 28 de Junho, para dar as boas-vindas ao verão, vamos convidar os vizinhos dos bairros da Graça, Mouraria e Alfama, os amigos e todos os simpatizantes de uma maior autonomia dos cidadãos para participar num encontro de trocas na Horta popular da Graça.

Enquadramento:

No contexto social que vivemos é urgente encontrar soluções comunitárias para os problemas sociais. Os sistemas de troca são mecanismos de colaboração que permitem às pessoas que neles participam fortalecer laços de vizinhança e encontrar soluções para os seus problemas quotidianos.

Os habitantes das cidades contemporâneas defrontam-se com condições sociais que os obrigam a despender todo o seu tempo a trabalhar para pagar rendas, contas e prestações. Uma utilização colaborativa dos recursos de cada um pode permitir que este tempo seja gasto de uma forma mais recompensadora.

São muitos e ancestrais os exemplos de sistemas de troca, mas mais do que propor um regresso ao passado, a proposta é de reequacionar os mecanismos que foram sendo postos de lado pela modernidade, encontrar formas como estes podem enriquecer a vivência contemporânea, e criar novos instrumentos adaptados à nossa realidade.


Propósitos do Encontro de Trocas:

- Promover os Sistemas de Troca existentes

- Promover o encontro entre Sistemas de Troca estabelecidos e embrionários..

- Fomentar as trocas entre vizinhos, horticultores, e outros interessados.

- Ajudar a criar uma rede de troca na Mouraria.

- Proporcionar um verdadeiro convívio comunitário.


Uma iniciativa GAIA-CSM

http://gaia.org.pt/

http://www.horta-popular.blogspot.com/

Como chegar à Horta popular da Graça

The Birth Art café

Aqui está uma boa ideia.

Várias mulheres que criaram um grupo de apoio ao parto e maternidade onde se desenvolvem várias actividades que apelam à esperitualidade e criatividade.

O nome não podia ser mais sugestivo: informal como um encontro de café e tão criativo quanto a expressão de todos os nossos sentimentos através das mais variadas formas de arte.

Cada encontro se desenvolve em torno de um tema e, depois de um pequeno momento de meditação, as várias participantes são convidadas a partilhar as suas experiências e dúvidas enquanto expressam esses mesmos sentimentos em aproximações à pintura, escultura, desenho.... não tem que ser nada de complicado ou profissional.

A meditação ajuda as participantes a centrarem-se nas suas emoções e a encontrar a calma necessária uma partilha consciente. Penso que esta poderia ser a pedra de toque que traria a tranquilidade aos encontros em que tenho participado.

Pela minha experiência, a necessidade e vontade de partilhar são tão grandes que se perde o fio condutor dos encontros e, por vezes, chegamos ao fim com a impressão de não ter alcançado os objectivos. Estes simples ecxercícios de meditação e expressão pela arte podem funcionar como "guia", aumentar a capacidade de reflexividade e e análise sendo ainda a "materialização" da mesma.

Imagino que num ambiente tão relaxado a expressão de bons sentimentos e emoções relativos à gravidez, parto e materdidade esteja facilitada!!

Aqui ficam os depoimentos em primeira mão. Vamos experimentar?

Michel Odent - Gentle birth

Quando a mulher liberta adrenalina, o seu organismo não consegue libertar ocitocina. Assim sendo, a mulher em trabalho de parto deve manter os níveis de adrenalina o mais baixo possível.

Dado que os níveis de adrenalina são “contagiosos” é importante que o ambiente onde se desenrola o trabalho de parto seja tranquilo e que as pessoas que o acompanham mantenham os seus próprios níveis de adrenalina baixos.

Igualmente importante para a manutenção dos níveis de adrenalina da parturiente é ter privacidade e não se sentir observada ou julgada.








Thanks Tiff!

actividades ao ar livre de 6 e 20 de Junho | Jardim das Estacas | Teatro MM


No espaço à volta do Maria Matos, companhias de teatro de rua vão contar as suas histórias aos moradores do bairro, aos transeuntes, aos visitantes vindos de perto e longe.
Granular pegará nos sons da cidade para os transformar em música. Outras bandas animarão as noites. Nas oficinas, vamos fazer flores, construir casas e bairros pequeninos, criar famílias de brincar e tirar retratos mais ou menos familiares. Inventar museus ao ar livre e fazer visitas especiais. Pintar e brincar às histórias de encantar. Tudo no jardim aqui ao lado.

programa e coordenação Susana Menezes


6 JUNHO


Circolando
CHARANGA
Entrada Sul do Jardim das Estacas - 16h

Charanga é uma celebração à vida nas terras esquecidas das minas abandonadas, uma celebração às vidas que perduram através das histórias e nos sonhos das gentes. São tomados como ponto de partida dois objectos simbólicos: a bicicleta e a evocação do vento e da viagem; a fanfarra e as imagens associadas do brilho e da luz. A estes objectos vieram juntar-se a turba de água que traz consigo o mar e os sonhos de criança nos círculos de um carrossel… sonho com sóis e cabeças de vento.

direcção artística André Braga e Cláudia Figueiredo
criação colectiva e interpretação André Braga, Bruno Martelo, Hugo Almeida, João Vladimiro, Patrick Murys e Pedro Amaro
direcção André Braga
dramaturgia Cláudia Figueiredo
composição musical Alfredo Teixeira
direcção plástica João Calixto
coordenação técnica Cristóvão Cunha
direcção de cena Ana Carvalhosa
construção da cenografia e objectos de cena Circolando e Tudo Faço / Américo Castanheira
concepção de sistema de Iluminação Anatol Waschke


OFICINAS E OUTRAS ACTIVIDADES
PARA TODA A FAMÍLIA
Jardim das Estacas - das 15h às 19h

CONSTRUÇÃO DE ORIGAMIS
Vamos construir origamis de várias formas e feitios com papéis coloridos. Decorar a casinha do jardim e convidar os nossos vizinhos das casas do lado a participarem connosco.
monitores Rute Ribeiro e
Susana Esteves Pinto

DESENHOS PARA LEVAR A PASSEAR
Inventar desenhos e pintar, fazer recortes e colagens em formatos pequeninos para depois levar estas criações a passear em crachás que podemos colocar nos sítios mais bonitos.
monitor Daniel Pires

FLORES INVENTADAS
Onde já vivem plantas e árvores queremos plantar flores recicláveis para colorar o nosso jardim. São flores inventadas que vivem durante todo o ano onde nós quisermos. Flores feitas com as nossas mãos com tintas e com materiais recicláveis.
monitor Ana Teresa Magalhães

CASAS COM HISTÓRIA POR DENTRO
Se uma história é como uma casa, um lugar onde habitam personagens, lugares e objectos, as casas também têm história! Do buraquinho do seu ninho, um pássaro raro que habita o jardim convida-nos a partilhar histórias através das paredes da sua casa. É possível um pássaro encher uma casa de histórias? Como seria a sua casa? A partir da construção de casas e de casas de pássaros, vamos imaginar as histórias das suas vidas.
monitores Patrícia Maya e Viviana Henriques

FOTOGRAFIAS FAMILIARES
Há famílias de vários feitios. Famílias grandes e famílias pequeninas, famílias de amigos, famílias de conhecidos, famílias de loiros e morenos... Por haver tantas famílias podemos fotografar a família que quisermos, mais ou menos inventada, mais ou menos improvável. Os membros de cada família escolhem qual a função que querem ter na nova família inventada e recorrer a adereços para ajudar a representar os seus novos papéis.
monitor António Rebolo

HISTÓRIAS A MUITAS MÃOS
Nas paredes dos prédios à volta do jardim vamos começar a escrever uma história. Será uma história escrita a muitas mãos. Cada mão com um bocadinho de história a acrescentar à anterior. Será uma história feita por todos e publicada por nós no website do teatro.
apoio Rosa Ramos

HISTÓRIAS PARA VER E OUVIR
Há histórias de que gostamos muito. Há histórias que são quase nossas. Nesta tarde, convidamos todas as crianças a trazer as suas histórias preferidas, que as vamos ler para ti e para todos.
contadores Catarina Requeijo e Cláudia Gaiolas


20 JUNHO


HISTÓRIAS SUSPENSAS
JOANA PROVIDÊNCIA
Jardim das Estacas

As histórias fazem parte da identidade cultural de qualquer ser humano. Existem personagens que alimentam a nossa imaginação e nos ajudam a construir um imaginário colectivo. Criando o efémero e construindo o maravilhoso, viajando para um mundo fantástico, onde tudo se torna possível. Um desafio à imaginação.
Todos nós ouvimos histórias, todos já contámos histórias. E quem conta um conto é um contador de histórias! Imaginemos quatro contadores que, simultaneamente, saltam para dentro das histórias, agindo e reagindo através de voos, voltas e reviravoltas onde os desvios nos levam a outras pequenas histórias…

encenação Joana Providência
interpretes e co-criadores António Oliveira, Filipe Caco, Julieta Rodrigues
desenho e operação de som Flanco
cenário A2G arquitectura
figurinos Julieta Rodrigues
adereços Susete Rebelo
agradecimentos ACE, Fábrica da Rua da Alegria, Vasco Gomes, Vera Santos e As Famílias: Oliveira, Rodrigues e Pereira
co-produção RA DAR 360º e Teatro Maria Matos

OFICINAS E OUTRAS ACTIVIDADES
PARA TODA A FAMÍLIA
Jardim das Estacas - das 15h às 19h

QUE CONTAS À SOMBRA?
De que são feitas as sombras? É possível tocar-lhes, agarrá-las ou oferecê-las a alguém? E que histórias nos contam? E nós? Sentimo-nos diferentes à sombra? Vamos descobrir onde se escondem as sombras do jardim, desenhá-las com giz no chão e em folhas de papel. Vamos coleccioná-las em pedaços, dar-lhes cores e transformá-las em histórias com novas sombras! Traz um chapéu!
monitores Patricia Maya e Viviana Henriques

ANIMAIS IMPROVÁVEIS
Tendo como referência os animais e monstros mitológicos, vamos construir animais improváveis que resultam da mistura de vários animais e algumas partes humanas, usando técnicas de colagem. A partir do animal criado podemos fazer uma espécie de bilhete de identidade do novo ser, tendo em conta as suas características. E para retribuir a amabilidade do jardim que nos irá acolher nesta tarde de sábado, vamos povoá-lo com os animais criados, pendurando os desenhos nas árvores, escondendo-os nos arbustos, colocando-os na relva, sentando-os nos bancos.
monitores Catarina Requeijo e Maria João

HORTAS PORTÁTEIS
Vamos fazer pequenas plantações com sementes de frutos, legumes e outras plantas cheirosas. Inventar vasos e criar hortas que podemos transportar para onde quisermos. Aprender a receita de plantar, tratar e colher e depois, quem sabe, comer.
monitor Ana Teresa Magalhães

DESENHOS DE SE COMER
Fazer brincadeiras e criações com uma pasta que é doce. Inventar desenhos deliciosos que se levam ao forno e são de se comer. Experimentar tudo isto num jardim AOARLIVRE.
monitores Joana da Cruz Chocalhinho e Gonçalo Ladeira

BANDA FANFARRA
15h00, 16h30 e 17h30
Uma banda improvável feita de sopros e de metais vai conversar com os visitantes do jardim pedir festas e mimos e em troca fazer pequenas serenatas improvisadas.

O COLHE HISTÓRIAS
das 16h00 às 18h30
Um espaço para cada um contar a sua história, mais ou menos pessoal, mais ou menos improvisada. Vamos recolher as histórias dos mais novos e dos mais crescidos. O que é uma história para ti? E para ti? Já ouviste alguma? Queres contar uma?
Vamos filmar em vídeo e mostrar as tuas histórias para que todos te possam ouvir.
concepção e direcção Aldara Bizarro
vídeo João Pinto
figurinos Carlota Lagido
ilustração Margarida Botelho
produção executiva Andrea Sozzi e Rita Vieira
co-produção Jangada de Pedra e Teatro Maria Matos

FOTOGRAFIAS FAMILIARES
Há famílias de vários feitios. Famílias grandes e famílias pequeninas, famílias de amigos, famílias de conhecidos, famílias de loiros e morenos... Por haver tantas famílias podemos fotografar a família que quisermos, mais ou menos inventada, mais ou menos improvável. Os membros de cada família escolhem qual a função que querem ter na nova família inventada e recorrer a adereços para ajudar a representar os seus novos papéis.
monitor António Rebolo

HISTÓRIAS A MUITAS MÃOS
Nas paredes dos prédios à volta do jardim vamos começar a escrever uma história. Será uma história escrita a muitas mãos. Cada mão com um bocadinho de história a acrescentar à anterior. Será uma história feita por todos e publicada por nós no website do teatro.
apoio Rosa Ramos

Ópera para gente miúda ver e cantar | Junho na Gulbenkian


Vamos fazer uma ópera

de Benjamin Britten

19, 26, 30 de Junho e 1 de Julho às 20h00
20, 21, 27 e 28 de Junho às 16h00
23 e 24 de Junho às 15h00
M/6 anos
Grande Auditório


Vamos fazer uma Ópera (peça de teatro)
O pequeno Limpa-Chaminés (ópera)


Uma ópera para gente miúda ver e cantar!

Vem descobrir como se faz uma ópera com uma das óperas mais especiais alguma vez escritas para público jovem. Para a primeira parte, o compositor previu a realização de uma peça de teatro que retrata uma escola actual, com os seus alunos e professores, na rotina diária das aulas. Tudo parece decorrer com normalidade até que aparece um jovem fugitivo que se refugia na escola. Chama-se João e está na esperança de encontrar ali um abrigo para passar a noite. Os meninos da escola querem ajudá-lo, mas o João, ao tentar esconder-se, acaba por ficar preso na conduta de ar condicionado. Como na escola estavam a preparar um trabalho de grupo com música e teatro, porque não contar a história do João noutra época, para a tornar mais pitoresca? Mãos à obra….

De repente entramos nos bastidores do palco para assistirmos a todo o processo de construção de uma ópera. E o João torna-se, nada mais, nada menos, no protagonista dessa ópera – um pequeno limpa-chaminés que fica preso na chaminé…. O resto é surpresa. Mas a surpresa ainda maior é que nesta ópera contamos com a ajuda do público para cantar juntamente com o coro várias canções.

Traz a tua família, colegas e amigos e prepara-te para cantares connosco!
Basta entrares em contacto por email descobrir@gulbenkian.pt ou para o telefone 21 782 3590 e mandamos-te as partituras.
Ficamos à tua espera….

Direcção Musical - Osvaldo Ferreira
Direcção Cénica – Paulo Matos

Preço:
7,5€ (criança e jovens)
15€ (adultos)
Bilheteira online


DESCOBRIR…

Programa Gulbenkian Educação para a Cultura

Actividades Educativas:

Informações e Reservas para todas as actividades educativas

(mais novos e adultos)

T 21 782 3800

F 21782 3014

E descobrir@gulbenkian.pt

800 km depois



Foram 800 km em 4 dias, poucas horas de sono, muito calor, muita animação.

Se fizerem um passeio destes com barrigas de grávida e muito calor, tenham o cuidado de beber muita água (mesmo muita) para evitar eventuais problemas de obstipação (umas saquetas de Normacol também ajudam grávidas em apuros). Mais sobre gravidez e obstipação aqui

Também sugiro um bom creme para pernas pesadas/inchadas - os de castanha da Índia são bons e livres de quimicos (vende-se nas ervanárias).

Mercadinho de Comércio Justo | Jardim da Estrela, Domingo, 7 de Junho

Mercadinho de Comércio Justo
Jardim da Estrela, Domingo, 7 de Junho, 10:00-18:00

No Dia Mundial do Ambiente convidamo-lo a agendar um passeio pelo Jardim da Estrela do próximo Domingo, aproveitando para disfrutar da diversidade de sombras e cheiros num recanto de natureza em Lisboa e para (re)conhecer o movimento do Comércio Justo. Proteger o ambiente, natural e humano, é o lema defendido por este movimento. Ao adquirir produtos de Comércio Justo está não só a contribuir para a protecção do meio ambiente e preservação da biodiversidade mundial, como também para a melhoria das condições de trabalho e de vida dos trabalhadores envolvidos nesta forma de produção e comercialização. Sugerimos-lhe, pois, que partilhe da realidade dos produtores e dos seus produtos, no Jardim da Estrela, no próximo Domingo, 7 de Junho, entre as 10:00 e as 18:00. A Cores do Globo, com o apoio da Junta de Freguesia da Lapa, leva até si mais um mercadinho de Comércio Justo. Esperamos por si!

www.coresdoglobo.org

info@coresdoglobo.org

Workshop Gratuito linguagem do bebé

Se estiver grávida ou tiver um bebé recém-nascido até às 12 semanas e estiver interessada em aprender a entender o que o seu bebé lhe comunica através do choro, conseguindo assim acalmá-lo mais rapido e facilmente, mas tem dúvidas como funciona um workshop de Linguagem de Bebé Dunstan, participe numa aula de demonstração.

Inscreva-se o mais breve possível para reservar o seu lugar, as inscrições são limitadas.

Kuantos meses

Dia 5 de Junho, às 18:30h, em Benfica.

Aula de demonstração gratuita

www.kuantosmeses.com

Prama

Dia 15de Junho às 18:30h, em Lisboa.

Aula de demonstração gratuita

www.prama.pt


Mais informações em http://linguagembebe.blogspot.com

Muita novidade para digerir

A Sofia, do "Aqui há bebé", escreveu mais um texto sobre o co-sleeping que me levou a escrever um comentário. O comentário alargou-se tanto que ficou um texto e, entretanto, decidi copiar o mesmo para este blog.

Aqui ficam as interrogações com que tenho andado entretida:

olá,

devo dizer que a primeira vez que li sobre co-sleeping foi no "Aqui há bebé" e não consegui conter a indignação: "então agora estão aqui a dizer tudo ao contrário do que deve ser?".

Depois, pensando melhor, decidi pesquisar. São aos milhares as referências à partilha da cama com os filhos e até a OMS o recomenda.

Estou a tentar recolher informação útil sobre o assunto e vou começar agora a ler o Continuum Concept (Jean Liedlof) e espero que esta seja a pedra de toque que vai deitar por terra todos os pré-conceitos que eu tinha sobre educação.

Sinto-me como se tivesse caído de repente num mundo que desconheço e no qual não ainda não me oriento muito bem.

Eu pensava, entre muitas outras coisas, que os filhos só se podiam ter nos hospitais (ou espaços similares) porque nos nossos dias já não se justifica que seja de outra forma.

Pensava que os bebés deveriam dormir no seu berço desde o primeiro dia e no seu quarto, no máximo, até ao 6º mês de vida.

Estava segura de que ter um bebé a dormir com os pais era negligência e que até podíamos matar o bebé com o nosso peso.

Podia garantir que devíamos dar de mamar de 3 em 3 horas (ou algo do género) e alternar a maminha mesmo quando o bebé parece querer continuar a mamar da mesma maminha.

Pensava eu que bebés e fraldas estavam sempre associados. Estava mesmo convicta que era impossível criar um bebé sem fraldas. Pior ainda, nunca tinha pensado em tal possibilidade!!!!!!!!!

etc..., etc...

Assim, de repente e sem pré aviso, fico a saber que afinal:

- já faz sentido ter os bebés em casa. Isso mesmo, na nossa sociedade, com todos os cuidados pré-natais, ecografias, cudados e atenções, já faz sentido ter os bebés num ambiente acolhedor pois os riscos são menores do que os partos domiciliares do sec XIX (foi só um exemplo).

- Dormir com o bebé não só não é mau como é recomendado. Os laços entre pais e filo estreitam-se, as mamadas tornan-se mais fáceis para mãe e filho, os bebés tornam-se menos rígidos, irritadiços etc... ainda não sei muito sobre isto mas continuo a aprender.

E sabem que mais? As mamadas de 3 em 3 horas podem ser responsáveis por muitos dos problemas da amamentação. A criança deve poder mamar quando sentir necessidade. Assim sendo quando mais próximo o corpo da mãe esta estiver, melhor. É também por isso que se transportam os bebés em panos e slings. Não é só porque é giro!!!!

Quanto às fraldas, há muito quem opte pela chamada higiene natural e consiga mesmo que o bebé utilize o pote em vez das fraldas. Em contextos onde não abundam os tecidos e os plásticos imagino que esta nem sequer seja uma opção mas sim um hábito tão "natural" como nós utilizarmos as fraldas.

Agora, pergunto eu, mesmo sabendo que estou a optar pelo que faz mais sentido, mesmo sabendo que a minha intuição diz ser o correcto, como é que vou conseguir dar conta de tanta novidade? Como é que vou conseguir aplicar tudo isto? Terei disponibilidade para estar tão próxima do meu filho? E, especialmente, como vou conseguir explicar aos outros estas opções que parecem tão excêntricas, tão non-sense, tão negligentes?

O que diz a vossa esperiência sobre estas questões? Quem já experimentou/vivênciou estas práticas pode dar dicas úteis?

Obrigada a tod@s e obrigada Sofia por ter sido a primeira pessoa a chamar a nossa atenção para este novo mundo.