Do you speak English? | Parlais vous Français?

O trabalho, o dinheiro e o fim da humanidade. Ou, sim, mas tens que pagar!

O que é que um/uma cientista, guia espiritual, gestor/a, um ecologista, médico/a, parteir0/a, pediatra, psicólogo/a, nutricionista e mãe/pai tem em comum?

Sou cientista, descobri a fórmula para acabar com a fome no mundo mas, se a quiseres terás que a pagar.

Sou guia espiritual. Seguindo os meus ensinamentos e as minhas palavras de luz, chegarás à plenitude mas, para as ouvires, terás que pagar.

Sou gestor/a, tenho a solução para a falência de pequenas e médias empresas e para salvar os postos de trabalho de milhares de trabalhadores mas, se querem os meus conhecimentos aplicados à vossa empresa, tem que pagar.

Sou ecologista e activista, sei como banir os produtos químicos das nossas vidas mas, para saberes como, terás que pagar.

Sou médico/a, sei a cura para a doença que te aflige mas, para chegares a ela. Tens que pagar.

Sou pediatra, descobri como evitar as cólicas nos bebés, se quiseres saber como, tens que comprar o meu livro. Não, não podes tirar fotocópias porque é proibido. Se existe um vídeo? sim existe, mas só encontrarás no youtube alguns excertos, para veres o filme na íntegra tens que pagar.

Sou parteiro/a, acompanhei centenas de partos e sei como ajudar outras profissionais e mulheres a "parir em paz" mas, se quiseres beber da minha experiência, tens que ir ao meu curso e pagar.

Sou psicólogo/a, sei como manter um casamento feliz e estável. Queres aprender como? Compra o meu livro ou vem a umas quantas das minhas consultas.

Sou nutricionista, aplicando as minhas recentes descobertas sobre alimentação, conseguiremos evitar 85% das doenças. Que descobertas são essas? Bem, isso tem que ser visto caso a caso e para tal terá que vir a uma sessão de aconselhamento e pagar.

Sou mãe/pai, descobri e experimentei como criar bebés sem fraldas. Se te ensino como? Claro, basta compares o livro, veres o filme ou fazer o curso mas, tens que pagar.

Por mais interessantes, importantes, aliciantes que sejam os seus princípios, objectivos e descobertas, não podes aceder a elas sem pagar. O valor do seu conhecimento e dedicação não é contabilizado pelo impacto positivo para a humanidade mas sim pelo dinheiro lucro que gera.

Não é que eu não compreenda o/a cientista, guia espiritual, gestor/a, um ecologista, médico/a, parteir0/a, pediatra, psicólogo/a, nutricionista e o/a pai/mãe desta história... compreendo... o que não consigo perceber é porque é que uma civilização se deixa reger exclusivamente - e aniquilar - pelo dinheiro, em detrimento de, por exemplo, sistemas de troca e partilha ou, simplesmente, porque é que se perdeu a noção de bem comum? Perdão, a noção de bem comum existe, desde que o trabalho para ele realizado seja, caro está, remunerado!


*****************

Cada vez mais prósperos, resilientes, simples e felizes!

Massagem para Bebés (curso)

Os benefícios, o carinho, o prazer, a técnica. Foi preparado um currículo para iniciar os pais na massagem infantil.

Objectivos do Curso:

Promover a interacção entre pais e bebés
Ajudar a criar uma rotina diária para as massagens
Aumentar a auto-confiança dos pais
Aprender as massagens
Proporcionar um tempo de partilha de experiências e convívio
Usufruir de todos os benefícios para o bebé


Horário: Início, terça-feira, 30 de Novembro às 10:30, outras datas a combinar 

Duração: 60 minutos

Periodicidade: 1x semana

Número de Sessões: 4+1

Idade dos Bebés: dos 0 aos 2 anos

Preço do curso: 125€

Local: Rua António Feijó, 4A, Lisboa
Benefícios da massagem para os bebés
    • Favorece o vínculo pais/ filhos
    • Relaxante
    • O bebé sente-se seguro e amado
    • Promove o sono e o descanso
    • Facilita a percepção do corpo
    • Aumenta a capacidade do sistema imunitário
    • Estimulação sensorial
    • Tonifica a pele
    • Melhora a circulação sanguínea
    • Ajuda a digestão
    • Melhora o funcionamento dos intestinos
    • Equilibra a respiração
    • Alivia as dores causadas pela erupção dos dentes
Benefícios da massagem para os pais

    • Ajuda a conhecer melhor o bebé
    • Relaxa os pais
    • Ajuda a construir a auto-estima dos pais e do bebé
    • É uma experiência agradável



--
  Cristina Pincho
www.infosermae.pt
info@infosermae.pt

Aprender a viver com menos

Linha da Frente - Informação - Actualidades RTP 1 - Multimédia RTP

Obrigada Moya. Já sabia desta reportagem mas não sabia como a procurar na net. Não ter TV faz parte do nosso viver com menos.

Foi engraçado ouvir a Lili Caneças a falar do Apocalipse.

Natural Urban Mama

Descrição perfeita

"NATURAL - how I live, URBAN - where I live, MAMA - who I am to two amazing little humans."

http://www.naturalurbanmama.com/

Bisfenol A. Finalmente banido dos biberões. Amarga vitória que me deixa com um nó na garganta!

A produção de biberões com Bisfenol A será, a partir de Março de 2011 proibida na UE.

Perante uma notícia destas sinto um nó na garganta. está aqui e insiste em não ir embora. Preferia 1000 vezes que viessem dizer que estava tudo maluco e o BPA (e outras m#%#%) não fazem mal nenhum. 

O que é vão fazer duas gerações expostas a plásticos e mais plásticos cheios de Bisfenol A e outros químicos? Sentar-se e esperar que a doença se anuncie? 

O que é o Bisfenol A?
Bisfenol A, um estrógeno sintético encontrado no plástico.

Está presente nas caixas com que aquecemos a comida no microondas, nos biberões e esterilizadores de biberões (que também aquecemos no microondas e levamos à máquina de lavar loiça), nos cafés e chás que bebemos de copos de plástico, nos copos de plástico daquelas 300.000 cervejas que bebemos no verão.

Está nos brinquedos dos nossos filhos, naquelas coisas que lhes damos para morderem para aliviar a dor de dentes, nos tapetes que lhes colocamos no chão para não escorregarem, nas barras de protecção com que lhes forramos as camas.

Está presente nos sacos, tubos e seringas por onde passam os líquidos, e o sangue, que nos injectam nas veias quando estamos no hospital.

Claro que está presente nas garrafas e garrafões de água que bebemos e voltamos a encher, que ficam no carro e aquecem, voltam a arrefecer e, ainda assim, o seu conteúdo vai saciar a nossa sede. E como não poderia deixar de ser, encontrarão bisfenol A nos dispensadores de agua dos consultórios médicos, lojas, empresa etc.. esses mesmos que nos dão água e Bisfeno A servidos em copos de plástico com mais Bisfenol A.

Eu não disse que gostava que estivesse tudo maluco e isto fosse mentira? Afinal é mesmo verdade que estamos a envenenar os nossos filhos e a contribuir diariamente para a degradação da sua saúde.

Há uns meses a mina mãe ofereceu ao neto o seu primeiro conjunto de prato e talheres que era também caixa de alimentos. Podia ser utilziado no microondas e frigorífico. Escrevi para a marca a perguntar se aquele artigo tinha ftalatos e bisfenol A. A resposta foi que os beiberões de vidro da Chicco não tem Bisfenol A. Pois, mas eu tinha nas mãos um prato e não um biberão pelo que nunca cheguei a utilizar o artigo. Sei que esta atitude magoa a pessoa que dá o presente com amor e acreditem que eu preferia 1000 vezes estar a ser maluquinha com a mania das coisas "naturais" e "bio" e "ecológicas" do que saber-nos a tod@s contaminados com tantos químicos.


Como entramos em contacto com o Bisfenol A?
 
O BPA pode migrar para através do consumo de alimentos ou bebidas acondicionadas em plástico, como biberões, copinhos, pratinhos e talheres. É importante salientar que o aquecimento do biberão leva a um maior desprendimento do bisfenol-A, no entanto, em biberões de plástico a migração vai acontecer independentemente dela ser aquecida ou não.
 
O BPA também pode migrar de latas, como as de leite em pó, e assim ser ingerido pela criança. É cientificamente comprovado que o bisfenol-A passa pela placenta e a contaminação do feto ocorre sempre que a mãe ingerir um produto que esteve em contacto com o químico.
 
Pela ingestão de alimentos ou bebidas provenientes de latas, recipientes plásticos usados para guardar alimentos na geladeira, garrafas e garrafões.

Quais os danos causados pelo Bisfenol A?

  • Aumento da formação de gorduras e risco de obesidade; 
  • Alteração do sistema imunológico; 
  • Puberdade precoce, estimulação de desenvolvimento da glândula mamária, disfunções nos ciclos reprodutivos e disfunções ovarianas;
  • Alterações de comportamento específico dos gêneros e comportamento sexual anormal;
  • Estimulação das células do cancro de próstata; 
  • Aumento do tamanho da próstata e decréscimo na produção de espermatozóides. 
  • Afecta o coração de mulheres;
  • Provoca aborto, prematuridade, restrição ao crescimento intrauterino e pre-eclampsia
  • Impacta a permeabilidade intestinal;
  • Induz a asma;
  • Estudo de 2007 concluiu que o bisfenol A bloqueia os receptores do hormônio da tireóide;
  • Em 2007 um painel do NIH (National Institutes of Health) dos EUA demonstrou "alguma preocupação" com os efeitos do BPA sobre o desenvolvimento cerebral e o comportamento de fetos e bebés;
  • Estudo de 2008 concluiu que a exposição neonatal ao BPA pode afetar o comportamento ligado ao dimorfismo sexual no adulto;
  • Também em 2008 conclui-se que o BPA afeta, mesmo em nanodosagem, o processo da memória, porque altera a potenciação a longo prazo do hipocampo;
  • Estudo com primatas da Yale School of Medicine observou interferência do BPA em conexões celulares do cérebro vitais para a memória, aprendizagem e humor;
  •  Hiperatividade, déficit de atenção e aumento da sensibilidade a drogas de abuso resultam do aumento da atividade mesolímbica da dopamina causada pelo mimetismo da atividade estrogênica pelo BPA
  • Estudo de 2008 baseado em experimentos com animais e dados epidemiológicos reforça a hipótese de que a exposição fetal a xenoestrógenos seja uma causa subjacente do aumento do câncer de mama nos últimos 50 anos;
  • Estudos de 2009 apontam para anomalias do ovário e efeitos carcinogênicos por exposição durante períodos prenatais críticos de diferenciação, alteração permanente dos mecanismos hipotalâmicos estrógeno-dependentes que organizam o comportamento sexual da fêmea de ratos exposta no período neonatal,disfunção sexual masculina referida por adultos que trabalham com BPA; 
  • Pesquisa realizada em 2010 demosntrou que o Bisfenol-A, aumenta o risco de disfunções sexuais masculinas, reduz a concentração e qualidade do sêmen, segundo estudo publicado na revista “Fertility and Sterility”. A pesquisa foi realizada durante cinco anos com 514 operários que trabalhavam em fábricas da China.
Como Evitar exposição ao bisfenol A?
  • Dar às crianças brinquedos feitos com materiais naturais em vez de plásticos;
  • Armazenar os alimentos e bebidas em vidros NUNCA em recipientes de plástico (beverages in glass -- NOT plastic -- containers);
  • SE escolher usar o microondas, não o fazer em recipientes plásticos;
  • Parar de comprar e consumir alimentos e bebidas em latas;
  • Evitar o uso de filmes plásticos (e nunca colocar no microondas nada envolto nisto);
  • Libertar-se de pratos, copos e outros utensílios de plástico, trocando-os por produtos de vidro;
  • Se optar por utilizar utensílios plásticos de cozinha, desfazer-se dos velhos, os lascados ou arranhados e evitar colocá-los na máquina de lavar louças. 
  • Não lavar plásticos com detergentes fortes, já que pode fazer com que mais substâncias químicas possam ir para os nossos alimentos;
  • Evitar água engarrafada, filtrar nossa própria água com filtros de osmose reversa;
  • Antes de permitir que o selante dental seja aplicado em nossos dentes e de nossos filhos, questionar o dentista se ele sabe se este material tem ou não BPA

  • Utilize recipientes de vidro ou de polipropileno (código 5), em vez de código de policarbonato (7).
  • Se continuar a usar recipientes de policarbonato, não lavar louça com detergentes fortes ou lavagem. Esses agentes ajudam a destruir os laços que formam o plástico, liberando bisfenol A. Em vez disso, lave-as em água quente com sabão com uma esponja.
  • Evitar aquecimento de recipientes de policarbonato no microondas. Use em vez de recipientes de vidro ou de cerâmica.
  • Evite usar a fórmula infantil disponível em latas, a parede está alinhada com revestimento de epóxi de bisfenol A. Ver a este respeito, o relatório do Grupo de Relatório Ambiental. Também contém dicas úteis (apenas em Inglês) (http://www.ewg.org/reports/infantformula).
  • Reduza o consumo de alimentos e latas de bebidas. 
  • Evite enlatados muito ácidos (tomate, etc.) Ou óleo de peixe gordo (, etc.) porque o bisphenol A reage com ácidos e lipídios.

Identificação de plásticos

Os plásticos são compostos por diferentes resinas identificadas por um símbolo triangular com um número de 1 a 7 e uma abreviatura para o material utilizado.

O de tipo 7 junta todas as outras classes e alguns plásticos número 7, como o policarbonato (identificado com o número 7 ou as letras PC dentro do símbolo de reciclagem) são fabricados recorrendo ao Bisfenol-A. Quando este tipo de plástico é exposto a líquidos quentes liberta Bisfenol-A 55 vezes mais rápido que em condições normais.

O tipo 3 (PVC) também pode conter o bisfenol-A como antioxidante.

Os plásticos do tipo 1 (PET), 2 (HDPE), 4 (LDPE), 5 (polipropileno) e 6 (polistireno) não utilizam o Bisfenol-A durante o seu processo de fabrico.

Apenas três deles são relevantes no âmbito de desreguladores endócrinos.



7 PC ou policarbonato - plástico libertar bisfenol A
6 PS ou poliestireno - plástico pode libertar estireno
3 V ou cloreto de polivinilo - de plástico em que os ftalatos são adicionados

Como posso saber se determinado Biberão tem Bisfenol-A?

A grande maioria dos biberões existentes no mercado português ainda é fabricada com recurso a plástico com Bisfenol-A. Não existe legislação para a rotulagem de biberões quanto à existência desta substância. Uma vez que a ausência de Bisfenol-A representa uma vantagem competitiva, estes fabricantes tornam bem visível a anúncio "Livre de Bisfenol-A" ou "Bisphenol-A Free". Ao contrário, existência de Bisfenol-A num biberão, tipicamente não é anunciada.

O antiaderente panelas

O antiaderente das panelas é feita de teflon, que contém compostos perfluorados (PFC) reconhecidas como cancerígenas e desreguladores endócrinos. Estes compostos também são encontrados em embalagens de alimentos incluindo sacos de pipocas de microondas. Na verdade, esses poluentes orgânicos persistentes são tão comuns que são detectáveis na maioria dos seres vivos, o Pólo Norte ao Pólo Sul.

A utensílios com revestimento de Teflon riscadas ou danificadas não devem ser usadas.

Fontes:
http://www.malapedia.com/malapedia/forum-ftalatos+bisfenol+a+plasticos+latas+latas-pt-X15-1054-saude.php#1054
http://www.otaodoconsumo.com.br/bisfenol
http://www.gforum.tv/board/1735/327346/bisfenol-perigo-nos-biberoes-e-plasticos.html
http://cosmo.uol.com.br/noticia/59071/2010-07-29/o-bisfenol-a-poe-a-saude-e-os-medicos-em-alerta.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Bisfenol_A

DIA SEM COMPRAS - 27 Novembro

Dia Sem Compras 2010
Dia Sem Compras


No último Sábado do mês de Novembro é celebrado todos os anos a nível mundial o DIA SEM COMPRAS (Buy Nothing Day), uma forma de nos manifestarmos contra o consumismo insustentável nas sociedades de consumo dos países industrializados.
Nesse dia, que este ano ocorre no próximo sábado, dia 27 de Novembro, pessoas de todo o Mundo decidem não comprar nada!
É incentivada a reflexão sobre o modo de consumo na actuais sociedades capitalistas. Promove-se uma postura de consumo responsável, alertando-se a sociedade para a escassez dos recursos naturais e para a necessidade de todos nós, enquanto consumidores, termos consciência da pegada ecológica originada pela produção e transporte dos produtos que temos à nossa disposição nas superfícies comerciais. Defende-se a sustentabilidade do planeta, promovendo o consumo responsável e local, o comércio justo e a reutilização e troca de bens.
Por isso no Próximo Sábado declara-se uma Greve Geral ao Consumismo em todo o mundo.
Mais informações:
http://gaia.org.pt/
https://www.adbusters.org/campaigns/bnd
Participa neste dia, passa a mensagem aos teus contactos!

Estou, oficialmente, em ruptura. Help!

quanto mais leio, falo, penso e sinto as dicotomias existentes entre escolas formais, alternativas e não escola, opções bio e químicos, vidas tribais/ comunitárias e sociedade individualista, partos naturais e medicalizados, mulheres empoderadas e sociedades masculinizadas, dualidade ser/ ter e tantas outras, mais encurralada me sinto. 

É verdade que hoje dormi mal, estou cansada e sinto-me em baixo de forma e talvez por isso me esteja a sentir também tão derrotada. 

Ando na rua e vejo as pessoas apressadas, mal humoradas, a correr a pé ou cada uma fechada no seu carro. 

Vejo trabalhos inúteis a serem feitos como o do senhor que cola anúncios publicitários para que se compre mais um carro, mais um computador... do revisor do autocarro que passa multa a quem não pagou bilhete para se poder deslocar numa imensidão de casas e ruas poluídas, feias, barulhentas e criadas apenas com o propósito de aglutinar mais e mais pessoas junto aos seus locais de trabalho. Ruas onde já não se pode andar a pé, cidades grandes onde tudo é distante e onde é obrigatório trabalhar para pagar o transporte que nos leva mais longe e faz tudo parecer mais perto.
Sempre trabalho e mais trabalho, fere-me o coração ver o homem e a mulher que, tristes e mal humorados, trabalham no supermercado, no call centre, no jornal, no escritório, no departamento governamental, no hospital, na escola que, no final do mês, lhes fica com o salário, sim, porque tudo pertence sempre aos mesmos. Senão, como explicar que 10% da população tenha mais de 90% da riqueza? Que escravatura!!! Pagar para se deslocar nas ruas barulhentas, feias e sujas, pagar para viver nas casas pequenas (quando não são também frias e feias), pagar para comer e beber os químicos que nos vão matar, pagar para nos entupirem de anúncios publicitários a porcarias nas quais vamos, quais robots, gastar o tal dinheiro fruto do trabalho mal humorado e suado. Trabalhar e pagar, trabalhar e pagar... todas as porcarias desnecessárias que, aos poucos, nos alienam.
E as crianças, não há, estão todas fechadas nos seus espaços ridiculamente artificiais e cheios de tudo o que "formais" e "alternativos" entendem ser bom para o seu desenvolvimento porque os pais, coitados, tem que trabalhar para pagar a escola, o computador e o carro maiores e melhores, para poderem trabalhar mais e mais depressa. 

Trabalhar para pagar o champô, a comida, o perfume, os detergentes, os móveis e todas as outras m#%#% entupidas dos químicos que, silenciosamente, nos matam. Trabalhar para pagar a casa inacreditavelmente cara que nos mantém perto do local de trabalho ou inacreditavelmente grande e bonita que nos faz sentir “bem na vida”. 

Trabalhar para ser Dr, engenheiro, ou apenas para não ser considerado inútil pois só quem trabalha (e recebe dinheiro) pode ser “algo” na vida. Sim, porque viver não é suficiente, é necessário ser algo aos olhos dos outros e, claro, ter dinheiro.

Socorro, não quero mais. Não quero mais anúncios, mais apelos ao consumo, mais carros, mais casas, mais químicos, mais crises, mais pessoas tristes e mal humoradas, mais e mais e mais e mais. Estou, oficialmente, em ruptura!!!!!!!!!!!!!!



Aquece o coração saber que somos muitos, espalhados por todo o mundo e que as nossas acções, dentro das nossas casas, contribuem para um todo melhor! Este vídeo deu-me forças para continuar a acreditar nas opções da minha família

Este momento #3

{this moment} - Um ritual de sexta feira. Uma foto captura o momento da semana. Um momento simples, especial, extraordinário. Um momento para parar, relaxar, relembrar.




Esta semana estou grata:
- pela chuva, pelo frio e pelo quentinho da nossa casa;
- pelas roupas de inverno;
- pelas dádivas da família;

- pela saúde que temos e pelas doenças que chegam e nos ajudam a perceber melhor os nossos limites e o nosso caminho.



Desejamos-te um fim-de-semana maravilhoso!

Inspirado por http://www.soulemama.com/

O meu, o teu, o nosso sonho

Umas sonham a "Casa das Mães", outras sonham com "o lugar perfeito", outras ainda sonham "grande" e eu fico a pensar se o que queremos não é simplesmente viver numa comunidade solidária, de entreajuda, de presença real? Sonhamos com um local que seja diferente, um oásis que nos ajude a esquecer que vivemos num deserto de emoções, sentimentos e amor?

De que outra forma se explica que milhões de pessoas vivam encavalitadas, isoladas, cada qual no seu cubo, no seu pedaço de mundo sem pedaço de chão, crianças aglutinadas com crianças, idosos aglutinados com idosos, espaços verdes dedicados aos cães, passeios dedicados aos carros, espaços comuns dos edifícios dedicados ao lixo e ao pó, adultos em idade activa atarefados para ganhar o pão e o tostão que permite pagar as prisões de uns e de outros, mais as idas aos centros comerciais lotados onde os corpos vazios e os espíritos cheios de necessidade de ter se amontoam e esquecem o deserto e o oásis?

Prendas de Natal

Este Natal seleccionei prendas simples, bonitas, económicas, saídas das mãos de mulheres cheias de energia que, com carinho e dedicação, confeccionam os seus produtos exclusivamente para nós.

Para os graúdos - Sabonetes Biológicos Artesanais 7 Elements


Encomendas Através de http://7elementsblog.blogspot.com/



Para os miúdos - Capas de Fralda das Fraldiskeiras

Encomendas através de http://www.fraldiskeiras.blogspot.com/

Cosméticos e produtos de limpeza caseiros

Comecei as pesquisas para fazer cosméticos e produtos de limpeza em casa. Aqui ficam os links a consultar:

http://angrychicken.typepad.com/angry_chicken/

http://www.inkanat.com/pt/mapadelsitio.html

http://rustyboobz.blogspot.com/

http://www.doctoroz.com/videos/honey-beauty-mask

http://simple-green-frugal-co-op.blogspot.com/2009/01/going-poo-free.html


Compilei num documento word todas as receitas - simples e práticas - que me pareceram interessantes. Posso enviar por mail

Este momento #2

{this moment} - Um ritual de sexta feira. Uma foto captura o momento da semana. Um momento simples, especial, extraordinário. Um momento para parar, relaxar, relembrar.



 Esta semana estou grata:
- pelo sol e calor de Novembro;
- pela alimentação fresca, saborosa e biológica que nos nutre;
- pelas pessoas generosas e calorosas que nos acolhem;
- pelas crianças que preenchem as nossas manhãs;
- pela amizade que tudo possibilita.


Desejamos-te um fim-de-semana maravilhoso!

Inspirado por http://www.soulemama.com/

Amamentar até aos 8 anos









Fantástico testemunho. muito inspirador











Sobre o trabalho

penso que a maioria de nós se identifica com o trabalho que faz e tem orgulho nele só que é exactamente essa componente do trabalho que, para a maioria de nós, não é remunerada. Eu trabalho muito, todos os dias, para: a) manter a minha família saudável; b) manter o meu lar em harmonia; c) criar o meu filho de forma consciente e atenta; d) manter o mais baixo possível o impacto ambiental da minha passagem pelo mundo; e) estudar, pesquisar, aprender; e) difundir informação sobre as "causas" em que acredito; f) ser socialmente activa e participativa; g) para contribuindo para o meu bem estar e o bem estar dos que comigo habitam a cidade de Lisboa .... entre outras coisas.... só que não sou remunerada por isso, logo, ninguém o considera trabalho.

A "nossa existência depende de nossa renda. Que desta forma o trabalho parece ser uma necessidade existencial. Não conseguimos imaginar uma vida sem ele, nem podemos. Tudo aquilo que hoje aponta para além da economia de mercado é desacreditado como alucinação, não importa o quão precária seja a situação do indivíduo burguês. Uma despedida positiva de trabalho, dinheiro e valor parece ser uma criação totalmente utópica da mente."

"O que para o homem pré-moderno era Deus, para o homem moderno agora é o trabalho. É para ele que se deve sacrificar-se e sobrecarregar-se."

"O sujeito, que se define por se subjugar ao trabalho, é objeto de uma tortura exterior e onipotente. Ele só toma existência porque ele não consegue se colocar positivamente por conta própria, mas somente negativamente através do trabalho. "

"Quando “forças” liberadas (desemprego, refprma) não sabem o que eles devem fazer com seu tempo, então eles demonstram o quanto eles se renderam ao culto do trabalho. Eles de fato identificaram sua vida com o trabalho; sem ele, a vida parece vazia e sem sentido. A frase absurda “o trabalho resume a vida” não está somente certa como certa está também seu segundo significado implícito: aniquilação."

"Trabalho não significa realização da vida, mas fadiga da existência. Tempo de trabalho é tempo de vida roubado."

"Trabalho é um mal. Trabalho é sofrimento. Trabalho destrói as pessoas psíquica e fisicamente. Antes imprescindível para a subsistência, hoje ele é cada vez mais desnecessário e impossível. Trabalho é auto-desrealização. Ele é feito porque ele traz salário. Não se deve nem mais perguntar pelo sentido da ocupação. Importante é se ele vale a pena, se ele pare lucros, salários, postos de trabalho. As pessoas devem trabalhar. Até a última gota de suor deve-se ater a isso.
O trabalho não liberta, ele é a ausência de liberdade por excelência, a coação autoritária à desumanização, o que significa: coisificar-se, vender-se, valorizar-se. Eles não devem desejar nada mais: “Nós queremos ter que trabalhar”, canta o coro dos prisioneiros do trabalho. Mas por que devemos querer? Porque queremos ter que trabalhar! Nossa vontade é lei que nos é imposta. Nós somos dimensionados de forma a não largamos nossa máscara, a qual compreendemos como nossa pele. "

"As fábricas, os escritórios, os centros comerciais, as obras: todos são instituições legais para a destruição de substância humana. Nós vemos diariamente os vestígios do trabalho nos rostos e nos corpos. As pessoas laboram no trabalho a eles atribuído mais do que em qualquer outra coisa."

"É nele que se encontram as raízes da estreiteza da mente e do comodismo prático. Ele é o motivo da insensibilidade e falsa serenidade dos indivíduos burgueses. “A empresa é o local onde o tipo do ser humano sem consciência é produzido, o lugar de nascimento do conformista“ diz Günther Anders (Anders 1956, p. 289-290). Trabalho dessencibiliza. Trabalho torna as pessoas tolas.
Trabalho é humilhação. É algo que se abate sobre nós, uma assolação, do qual temos que nos defender da melhor forma possível. A alternativa a ele não é a inatividade, mas a construção coletiva de uma atividade que faça sentido nas mais diversas áreas. A ausência de trabalho não tem como conseqüência a inatividade ou mesmo uma inutilidade. Pelo contrário: a superação do trabalho é a pré-condição da generalização da criatividade. Ela é libertada de sua condição de existência marginal. "

"Não foi o trabalho que fez o homem avançar, mas a atividade plena de espírito. "

"Não se deve lutar pelo “direito ao trabalho”, mas por um evidente “direito à vida”. E isso não significa a mera existência, mas profanamente a participação na quantidade de bens e esforços que hoje pode ser produzida globalmente. A frase “nós queremos trabalhar esforçadamente” deve ser substituída pela frase “nós queremos viver bem”. Autoconfiança é exigida e não a requisição de favores. Coragem ao invés de humildade.
Entretanto, não se deve contrapor ao direito ao trabalho um direito à preguiça. Deve-se ter em vista uma ociosidade criativa, uma existência produtiva que seja livre da coação à valorização. Vagarozidade e efetividade não se excluem mutuamente. Ociosidade deve ser estabelecida no lugar do dever. O consciente deve substituir o sem consciência. Criatividade e produtividade, atividade e solidariedade estão no centro da práxis futura, sim, até mesmo a palavra profissão, hoje de mau gosto, pode de uma hora para outra reaver sua honra. Sem dúvida: haverá atividade. Mas isso não significa de forma alguma que haverá trabalho.
O objetivo é a diminuição do tempo socialmente determinado. Emancipação significa a luta contra a luta pela existência e finalmente sua superação, ao menos no que diz respeito ao seu lado material. Trata-se da passagem da sobrevivência para a vida. Não é nada menos que o abandono da pré-história do homem: “O reino da liberdade só começa de fato quando o trabalho, que é determinado pela necessidade e por exigências externas, acaba; portanto, pela própria natureza da questão, isso está além da esfera da produção material propriamente dita” (Marx/Engels 1969d, p.828). Na ordem do dia está uma apropriação emancipatória do tempo. Para que os contemporâneos possam aproveitar seu tempo."

http://www.krisis.org/2009/da-decomposicao-do-trabalho

Manifesto contra o Trabalho: http://k.1asphost.com/sabotagem/Livros/Manifesto_Contra_o_Trabalho%28GrupoKrisis%29.pdf

A Conversadeira, retiro de 19 a 21 de Novembro

Retiro de Mulheres com Iris e Helena Madeira

A conversadeira é uma boneca de trapos feita de sementes. Era usada em muitas culturas nativas de tradição Shamanica e Pagã., como uma ponte entre a Mulher e a Lua Mãe. Á Conversadeira expressamos tudo aquilo que não queremos, podemos ou conseguimos transmitir a mais ninguém, e a Conversadeira ouve e liberta.

Trabalharemos o despojamento, o cair das folhas e o estado de Vazio Pleno. Con...struiremos a nossa Conversadeira pessoal, no fim do Outono, com sementes, folhas e especiarias de propriedades energéticas benéficas, como uma ajuda equilibrante para o longo período de isolamento e escuridão do frio Inverno.

Depois, Anima-la-emos, trazendo-lhe Anima, Alma, por meio de cantos, percussão, danças e rituais tradicionais de libertação, transformação, cura e poder.

Material necessário:
Roupa simples e muito confortável
Roupa velha (que tenha usado muito) para cortar e desmanchar, Linhas, agulha, tesoura e dedal
Lãs coloridas e botões
Sementes e feijões
Adufe, Frame Drum ou tabor Shamanico

As Práticas:
Acreditando que somos um todo, neste retiro passaremos por diversas técnicas que nos permitem contactar e conectar o corpo, mente e espirito, da sensação à emoção, da emoção à expressão, da expressão à criação.

Trabalharemos os chackras, centros energéticos, por meio de práticas de respiração e meditação, Yoga (pranayama) e exercícios inspirados em rebirthing, meditação activa (giro de inspiração Sufi, exercícios de movimento e confiança, despertar da sensação intuitiva), bem como visualizações criativas e diversos exercícios vivenciais de transformação de padrões de pensamento, para descondicionar aquilo que em nós nos torna menos do que de facto somos.
Recuperaremos a Voz do Corpo: trabalhando consciência corporal, meditação, respiração na voz. A Voz do Corpo destina-se à escuta do corpo e, através dele, à expressão vocal livre e natural, e não à aprendizagem de canto.

Dançaremos, recorrendo a movimento espontâneo, exercicios de dança Oriental, Afro e contemporânea, para regressar à consciência de si através da sensação.
Celebraremos simples rituais de origem pagã e xamânica: semear, formular intenções, trabalhar com os 5 elementos, partilhar em circulo de cura.

A alimentação é vegetariana, utilizando os produtos que a Terra nos oferece nesta época, confeccionados com Amor e com a perpectiva de que os alimentos do corpo energizam a Alma. Integrando cada aspecto do que somos, e do que vivemos, aceitando-nos como parte do corpo pleno que é a Terra e o Universo.

MÃES COM SUAS CRIANÇAS SÃO BEMVINDAS!!

SOBRE AS ORIENTADORAS:
www.irislican.blogspot.com www.myspace.com/helenasofiamadeira

Material necessário:
Para além do mencionado para cada retiro:
Roupa muito confortável Meias quentinhas Mantinha quente

Condições:
Programa:
Chegada: sexta ao fim do dia, 20h00 (para jantar) Partida: domingo, a partir das 16h00
Valor:
1 retiro: associadas Aiga: 120€ Outras participantes: 150€
alimentação vegetariana completa incluída

Estadia (por retiro): 25€ (inclui roupa de cama, toalhas e lençois)
Grupos de 5 pessoas: 10% de desconto
Possibilidade de parcelar o pagamento em fracções a definir, contacte-nos!
Reserva obrigatória até dia 10 de Novembro para A Conversadeira e até 15 de Abril para Beltane. Inscrição mediante sinalização obrigatória de 50€ (não reembolsável em caso de desistência), dedutíveis do valor total do retiro.
Vagas limitadas!

Local:
A lindissima Casa de Avecasta, Ferreira do Zêzere (solicite-nos por mail o mapa para chegar, Consulte-nos acerca da possibilidade de partilhar transporte)

O ciclo menstrual feminino é um poderoso processo criativo

“Uma Mulher que toma consciência do seu ciclo e das energias inerentes a ele, também apreende a perceber um nível de vida que vai mais além do visível; mantendo um vínculo intuitivo com as energias da vida, do nascimento e da morte.” Miranda Gray

Mulheres Lua

Encontro Intuição e Criatividade Lunar

O ciclo menstrual feminino é um poderoso processo criativo e os seus efeitos não se reduzem a um plano meramente fisiológico, mas também se faz sentir intensamente a nível psicológico e espiritual.

A nossa sociedade só realça o patológico na menstruação: a dor, a debilidade, o estorvo, etc. Logo, pretende/esta ocultar ou manipular o estigma de sangrar.

Para além da violência e do medo, nada tem sido mais eficaz para dar a mulher um papel secundário como degradar o seu ciclo menstrual. E apesar de escondido em forma de “aceitação” o tabu associado ao ciclo menstrual continua vigente.

O encontro foi pensado e construído para todas as mulheres que querem prestar uma homenagem a si mesmas.

Para aquelas que desejem dar mais um passo na RE-conexão com o seu Corpo, Mente e Alma de MULHER. Para aquelas que têm o Corpo e a Alma doridos e desejam Reconciliar-se com o seu Ciclo Lunar.

Um Atelier para/de/com Mulheres…

Objectivos do Encontro:

- Sarar a relação com a menstruação através do corpo, mente e espírito.

- Habitar o meu corpo: recuperar o meu Poder conectado com o meu útero, ovários, Yoni, peitos…

- Adoptar um novo conceito mais enriquecedor, integrativo e pleno da minha natureza feminina.

- Conhecer a minha conexão com os Ciclos da Lua (arquétipos lunares)e da Mãe Terra.

- Viajar ate ao meu Interior e redescobrir todo o meu potencial.

Metodologia

Durante os encontros vamos trabalhar a escrita desde uma nova visão, desde a sua dimensão xamânica e curativa, capaz de nos vincular com o nosso ser feminino mais profundo e criativo para nos transformar e nos faz renascer como mulheres novas. Para nos acompanhar nesta viagem pelo Bosque usaremos como orientação as palavras de mulheres como Clarissa Pinkola Estes, Marosa di Giorgio, Silvia Plath, Maria Teres Horta, Anaïs Nin, Patti Smith, Violeta Parra, Idea Vilariño, Flannery O´Connor entre outras… Teremos a companhia neste processo criativo de escrita, a música, as imagens, a poesia, o corpo como impulsores da palavra.

A viagem terá inicio com a leitura de um texto que nos acompanhara nas diferentes propostas criativas servindo como orientador e motivador da criatividade em cada uma de nós.

Requisitos:

  • Roupa cómoda com a qual nos sintamos sábias e poderosas
  • Caderno de apontamentos para o nosso ciclo lunar e produções escritas que se transformará no diário pessoal/lunar
  • Fotos de quando éramos pequenas, fotos de adolescentes e uma mais actual.
  • Saber a data da nossa última menstruação e saber a idade da primeira menstruação/lua.
  • Algum material para pintar (lápis de cor, lápis de cera ou marcadores).

Orientadora do atelier/encontro: Aida Suárez

http://jardineriashumanas.blogspot.com/

Contribuição: 45 euros

Data e Hora: 11 de Dezembro 15h00 as 18:00

Local: Arte&Simplicidade

http://arteesimplicidade.wordpress.com/

Contactos e informações:

Arte&Simplicidade

Rua da Torrinha, 154 Porto | 22 609 7228 | 91 611 2343 | 96 777 6194

artes@asimplicidade.com

Aida Suárez

jardineriahumana@gmail.com

910170596

Aída Suárez, Mulher Criativa, Filha da Deusa.

Absoluta crente na Arte como motor do desenvolvimento pessoal, criativo e curativo. A arte que nos permite ir onde nada mais nos pode levar, ao fundo do próprio mistério. ‘Recolectora de Estrelas’ e mulher cíclica que sangra, renova, cria e transforma. Arqueóloga da Alma Selvagem, numa perspectiva da psicologia feminina e integrativa do sagrado feminino e do sagrado masculino.

Arte&Simplicidade é um Núcleo de Arte, Cultura e Bem-Estar, no coração da cidade do Porto, que visa lembrar a importância do Ser, da Autenticidade, Beleza e Sinergia.

O electrico 28


aqui fica uma nota sobre a dificuldade que é andar no 28 sem ser roubado por um dos Srs carteiristas que impunemente "trabalham" na cidade.

Já cheguei a contar 7 carteiristas em acção no eléctrico 28, sim, ao mesmo tempo.

Toda a gente os conhece (polícia guarda freios, população.

Estes Srs. já deram entrevistas para a SIC e Visão, já disseram publicamente que "ganham" 200 euros por casa hora de "trabalho", um deles até tem um BMW comprado com o dinheirito de tão nobre "profissão".

Os guarda freios que lhes fazem frente, enfrentam sanções disciplinares por parte da Carris e "esperas" violentas por parte destes grupos de (in)prestáveis trabalhadores.

Quem se atreve a denuncia-los in loco é violentamente ameaçado "eu conheço-te e não te vou esquecer" - dizem eles. Quem os denuncia à polícia fica "obrigado" a comparecer em 1001 conversas burocráticas e inúteis e, imaginem só, fica também obrigado a comunicar à polícia qualquer mudança de morada sob risco de pagar multa por não comparecer nos dias e horas marcados nas 200 convocatórias que nos deixam na caixa de correio. Bem, são só 146 euros de multa por cada falta, não quererão os Srs. Carteiristas pagar tão simbólica quantia com menos do que uma hora do seu difícil e suado trabalho?

Assim se vive em Lisboa!

Eles entram e saem, roubam e ameaçam sem que nada aconteça.
Como podem os passageiros ajudar a fazer frente a estes ladrões?

- Avisar sempre quem está a ser roubado mesmo sob risco de ameaça e violência?
- Tirar fotos os indivíduos e publica-las na net, imprimi-las e colar nos eléctricos e paredes das paragens?
- Apresentar queixa à polícia sempre que formos nós os roubados e/ou ameaçados?
- Encher a Carris de cartas e mails a exigir vigilância nas carreiras com mais ladrões?
- Não pagar bilhete enquanto as viagens não forem seguras?
- Entrar em contacto com toda a comunicação social para que mais e mais gente esteja atenta aos ladrões?
- Escrever notas em várias línguas e distribuir pelos hotéis e sites sobre Lisboa para que os turistas estejam atentos?

Mais ideias?

(desta vez a foto é mesmo minha LOL)

fadas, gnomos e celebrações várias

Ando há uns dias a folhear um livrito (ou livrão) para, supostamente, me inspirar e trazer um pouco de harmonia, criatividade e fantasia ao nosso dia-a-dia.

Em vez de ficar toda animada com os milhentos exemplos do que eles chamam de "receitas simples" e "jogos fáceis", considerei-o desmoralizador. Fiquei a pensar algo como " mas há mães que se dedicam a isto tudo? onde é que elas vão buscar o tempo e energia e a sabedoria?"

Que pena  tenho por este universo de fadas, gnomos e celebrações várias não ter feito parte da minha infância.

Mas, estou determinada a transformar os dias de chuva em algo mais do que dias cinzentos, o dia de todos os santos em algo mais do que idas ao cemitério, o Natal em algo mais do que compras e prendas etc.... continuemos a caminhada que o miúdo ainda é pequeno e por isso ainda tenho mais uns mesitos para a pesquisa :)


Não há por aí encontros de famílias com inspiração Waldorf?

Vamos fazer um Babywearing aglomeração instantânea em Lisboa!

Vamos fazer um Babywearing aglomeração instantânea em Lisboa!
Onde: Largo de Camões, Lisboa
Quando: Sábado, dia 13 Noviembre, 2010 as 16h
Às 16.15h EM PONTO vamos cantar O Balão do João tres vezes, cada vez mais alto!
E... já está!
Tragam ropa muita colorida e várias opções para carregar os bebés! Panos porta-bebés, Slings, Manducas, Mobys, Ergo Carriers, Marsúpios e mais, mais, mais! As crianças podem carregar as bonecas também.

1 ano de fraldas de pano


Olá,

venho partilhar a minha experiência com as fraldas reutilizáveis.

Fralda tudo em 1 - absorventes costurados com as capas, quando se sujam tem que ser todas lavadas e demoram + tempo a secar. O detergente líquido pode danificar a componente que fica em contacto com a pele do bebé e que é geralmente constituída por turco ou microfibra (espécie de tecido polar); Com o tempo ficam encardidas e feias;


Fralda de bolso - permitem colocar um absorvente dentro de um espaço criado para o efeito (para facilitar a visualização,diria que é como se as cuecas tivessem um espaço onde colocar um penso). Quando o absorvente é colocado dentro deste bolso ficamos com o mesmo problema das tudo em 1, molha-se tudo e tem que ir o conjunto para lavar/secar. Tenho duas destas e nunca ponho o absorvente dentro do bolso;

Capa de fralda - podem ser de vários materiais (existem de lã pura, de micro-fibra, de algodão impermeabilizado, de turco impermeável, de plástico....). São simples capas de fralda que se vestem como uma cueca, apertam com velcros ou molas e se podem utilizar com absorventes de todo o tipo. Parecem-me a opção mais fácil pois, quando se suja o absorvente, pode-se colocar apenas este para lavar. No meu caso, consigo utilizar uma capa de fralda todo o dia mudando apenas os absorventes. A capa de fralda, não estando em contacto directo com a pele do bebé - pois tem o absorvente ou fralda de algodão entre os dois - não coloca problemas de alergias, irritações cutâneas;

O que são os absorventes?

Como não gosto de me complicar a vida, utilizo como absorventes (dobrado entre o corpo do bebé e a capa de fralda) as fraldas tradicionais, as fraldas pré-dobradas, quadrados de flanela que cortei de lençóis velhos (os mais macios), fronhas de almofadas de flanela, pedaços de turco e, claro, os absorventes que são vendidos com as várias marcas de fraldas que existem no mercado.


Como lavar as fraldas?

De cada vez que troco uma fralda coloco-a numa bacia com água, vinagre e óleo essencial de árvore do chá. Sempre que vou fazer uma máquina de roupa coloco lá as fraldas que tiver para lavar. Não me preocupo com a temperatura a que lavo os absorventes pois o vinagre já "matou" as bactérias que possam existir. A minha única preocupação é que as fraldas com xixi nunca sequem e que o cocó nunca entre em contacto directo com o absorvente (para isso utilizo o papel de arroz).

Se as fraldas com o tempo ficam manchadas?

O que fica manchado é o absorvente: o tal turco, ou as fraldas de pano tradicionais, ou os pedaços de flanela. Não tenho grande "paixão" por pedaços de pano brancos ou lençóis velhos e, um ano depois do meu bebé nascer, já comecei a deitar os panos mais encardidos ao lixo. Quanto às capas, estão sempre impecáveis servirão para o próximo filho. Os dois exemplares de fralda tudo em 1 que tenho já estão bem descoloradas/ encardidas e duvido que passem ao próximo bebé.

Se as capas de fralda se estragam na máquina?

Depende muito da marca, o melhor é perguntar ao fabricante/vendedor, a que temperatura podem ir. Algumas das que tenho resistem a tudo, até à máquina de secar. Outras, foram para o lixo na primeira lavagem, muitas delas ficam com os velcros inutilizados depois de umas lavagens mas podemos sempre colocar novos velcros :)


Quantas fraldas de pano tenho?

Desde que ele nasceu tive e não gostei:
- 2 tudo em 1 que foram para o lixo por terem derretido na máquina de secar (infelizmente não tinham a marca escrita e como foram compradas em segunda mão, não posso advertir relativamente à mesma;

- 3 capas de plástico da bambinomio. também comprei em segunda mão e ainda assim foram ridiculamente caras. Um pack novo (3 capas +12 fraldas de pano rectangulares/brancas) chega a custar 185 euros. O pack de recém-nascido, o que eu comprei, só serviu ao meu bebé durante uns 15 dias. A partir dos 4,500kg não servem;

-1 capa de fralda impermeável + fralda interior em turco (ainda não tinha falado nesta) da Popolini. Se utilizarmos a capa com a fralda (2ª cueca em turco grosso),é realmente absorvnte mas leva uma eternidade a secar. Se utilizar a capa com outro tipo de fralda, deixa escapar o xixi pela coxa pois fica muito larga;

Ainda tenho e utilizo:
- 2 fraldas de bolso da bungenius que nunca uso com o bolso e que dão muito jeito quando o bebé está no sling/pano/manduca pois são moles e não marcam muito a pele. São tamanho único e por isso andamos com as mesmas desde que tem os tais 4,500kg (i.e. desde os 15 dias). Aconselho a partir dos 6 kg pois até aí deixavam transbordar na coxa. Podem ir à máquina de lavar e secar mas os velcros já começam a dar de si. Um dias destes tenho que os remendar. A desvantagem é que o interior é em micro-fibra (o tal tipo de polar) e quando se molha tem que ir tudo para lavar;

- 3 capas de fralda das Fraldiskeiras (uma amiga que confecciona) - são de turco impermeável no interior. Sempre que fica molhado de xixi, basta passar um pano e fica limpo. Resiste à máquina de lavar e secar mas nem necessita da segunda pois seca muito rápido. Basta-me 1 para um dia inteiro e só vou mudando os absorventes. A única situação em que não as utilizo é quando o bebé anda singlado (ou no pano/manduca) pois marcam a coxa. update: com o calor, o tecido impermeável tranapira muito e faz reacção com a pele;

- Uma gaveta cheia de panos de todos os tamanhos e cores. único requisito? é ser 100% algodão e se me fosse possível seriam todos em algodão biológico. Estes são os panos que coloco dentro da capa de fralda, que utilizava para os vómitos, febres e afins.



E se na creche não querem fraldas de pano?

vejo 3 soluções:
a) mudar de creche;
b) dialogar até que cedam às fraldas de pano;
c) utilizar fraldas descartáveis na creche e de pano fora da creche

Há fraldas descartáveis que são biodegradáveis umas de ingredientes biológicos e outras de ingredientes ditos "naturais". Encontram no google infos sobre isto.


Afinal para que servem as fraldas de pano?
ambiente, despesa etc... mas, não esqueçamos, a pele do bebé, o facto de poder respirar sem estar semre embrulhado numa coisa sintética que absorve o xixi mas também a humidade natural da pele. se coseguirem permitir que os vossos bebés andem sem fralda descartável pelo menos umas horas por dia já estão a poupar muito dinheiro, muito espaço em aterro, muito creme barreira e estarão a dar vida à pele dos vossos bebés.

Não temos que ser tudo ou nada, 100% descartável ou 100% reutilizável, também existe este imenso cinzento onde muitos de nós se inscrevem.

A melhor fralda do mundo? A fralda perfeita? Não existe. Perfeito só não usar fralda. A higiene natural, sem fralda é, na minha opinião, a única forma respeitosa e perfeita de tratar as necessidades fisiológicas de um ser humano. Mas isso daria outro post.

Espero ter ajudado

UPDATE: tudo o que possam querer saber sobre fraldas de pano estã muito bem escplicado, por várias mamãs experientes, no grupo facebook Fraldas Reutilizáveis

Antes e depois

Antes
Depois




As pintas pretas são mesmo terra. A gravura é da Catarina Patrício e já esteve mais longe de ser pendurada dando lugar a um móvel definitivamente vazio e ao abrigo de mãos curiosas.